Chefe da Mercedes considera “inimaginável” F1 correr no Brasil e EUA em 2020

Por conta da pandemia do novo coronavírus, Toto Wolff acredita que a Fórmula 1 não vai passar por Brasil e Estados Unidos, países com altos números de casos, em 2020

O calendário definitivo para a temporada 2020 da Fórmula 1 continua indefinido por conta do novo coronavírus. Por enquanto, apenas oito etapas estão definidas e todas estão localizadas na Europa. Já países como Brasil e Estados Unidos, que sofrem com alto número de casos e mortes causados pelo Covid-19 ainda não tiveram destino definido.

Para Toto Wolff, chefe da Mercedes, Brasil, Estados Unidos e México são provas ameaçadas na temporada 2020. As corridas, que geralmente ocorrem entre outubro e novembro, ainda não foram confirmadas por conta dos altos números de casos de coronavírus nos países.

“Olhando para esses países agora, não é possível imaginar que estaremos lá”, afirmou Wolff.

Paddockast #67 | Barrichello melhor que Schumacher?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

O dirigente disse que está em contato com Chase Carey, chefe da F1, sobre o calendário desta temporada. A Fórmula 1 espera fazer de 15 a 18 corridas neste ano.

“Baseado nas minhas conversas com Chase Carey, ele não quer fechar nenhuma porta, mas não parece que estaremos nesses locais. Eles são muito cuidadosos e não vão arriscar as pessoas”, declarou Wolff.

Nesta semana, como apurou o GRANDE PRÊMIO, Interlagos entrou na fase final das obras no paddock iniciadas em 2014. Apesar disso, o circuito está com futuro incerto na Fórmula 1, pois o contrato atual termina em 2020, mas as negociações estão paradas até o momento.

Por enquanto, a última prova definida do calendário é o GP da Itália, em Monza, marcado para o dia 6 de setembro. Etapas em Mugello, também na Itália, e em Portugal são especuladas. As corridas na Rússia e na China também são especuladas para o fim do ano, mas a Fórmula 1 ainda não confirmou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube