F1
28/09/2015 13:31

Chefe da Mercedes diz que problema de superaquecimento no motor tirou potência de Rosberg na largada em Suzuka

Toto Wolff revelou que um problema de superaquecimento no motor tirou potência do carro de Nico Rosberg durante a corrida em Suzuka. Dirigente indicou que problema está ligado à maneira como o piloto prepara a embreagem e o motor na volta de formação do grid
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Nico Rosberg durante a classificação deste sábado em Suzuka, no Japão (Foto: AP)
Nico Rosberg sofreu com um problema no motor Mercedes no GP do Japão. De acordo com Toto Wolff, chefe do time, a unidade de potência do carro #6 superaqueceu durante a disputa em Suzuka.
 
Pole neste fim de semana, Rosberg fez uma boa saída, mas acabou ultrapassado por Lewis Hamilton ainda na segunda curva e não conseguiu acompanhar o companheiro de Mercedes. O britânico recebeu a bandeirada com 18s964 de vantagem e chegou ao seu oitavo triunfo no abrindo, abrindo 48 pontos de margem para Nico.
Nico Rosberg perdeu potência com motor superaquecido no Japão (Foto: AP)
“A largada foi boa para os dois carros, mas Nico teve um probleminha com uma unidade de potencia mais quente”, explicou Wolff. “Quando apareceu, depois de poucos segundos, ele não tinha a mesma potência de Lewis”, seguiu.
 
“Isso está relacionado à temperatura. Apareceu na volta de aquecimento”, contou.
 
 O chefe da Mercedes explicou que ainda não foi possível identificar a causa do problema, mas sugeriu que pode estar relacionado à maneira como o piloto prepara a embreagem e o motor na volta de formação.
 
“É importante colocar a embreagem e o motor na janela de temperatura correta”, comentou Toto. “O piloto controla esta volta de instalação. Então são procedimentos diferentes”, apontou.
 
“Os dois pilotos trabalharam nisso. Hoje, aquela volta acionou temperaturas diferentes nas unidades de potência”, resumiu.
 
Nas voltas finais da prova, Rosberg chegou a reduzir a vantagem de Lewis, mas Wolff afirmou que o líder do Mundial estava controlando o ritmo.
 
“Lewis estava controlando a diferença. Nós tivemos um pequeno drama com o carro — problemas relacionados à temperatura — e Lewis dechapou o pneu e isso causou grandes vibrações”, relatou. “Quando tiramos o pneu do carro, estava dechapado até a carcaça, então isso poderia ter terminado mal”, ponderou.
 
“Nós fuçamos bastante na unidade de potência e no chassi, pois estávamos vendo alguns sinais de problemas de confiabilidade que nos preocupavam um pouco”, concluiu.