F1

Chefe da Mercedes vê Ferrari em situação difícil por ordens e compreende: “Há esse problema com pilotos alfa”

Toto Wolff comentou sobre as ordens de equipe da Ferrari, especialmente no GP da China. O chefe da Mercedes afirmou que o time italiano se colocou em uma situação bastante difícil, mas reconheceu que essa é uma situação também enfrentada por outras equipes do grid

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Toto Wolff comentou sobre a ordem de equipe usada pela Ferrari na China. Apesar de mostrar simpatia, o chefe da Mercedes afirmou que colocou a equipe italiana em uma situação complicada para as provas futuras.
 
Na corrida em Xangai, Sebastian Vettel largou na frente de Charles Leclerc, mas foi ultrapassado pelo companheiro logo na primeira volta. Entretanto, ainda na parte inicial, afirmou que tinha o carro mais rápido, e assim, a escuderia de Maranello ordenou a inversão das posições.
 
Essa foi a terceira vez que o time chefiado por Mattia Binotto interferiu no andamento da disputa entre seus pilotos. Na Austrália, impediu que o monegasco atacasse o alemão. Já no Bahrein, apesar de ter pedido para Charles manter a posição, o piloto ultrapassou Sebastian.
 
Comentando sobre o caso da China, o dirigente da Mercedes afirmou que a Ferrari tomou uma atitude arriscada por reagir a um comentário de um dos pilotos tão cedo na corrida. “É uma situação complicada com certeza, pois você gostaria de ter o carro mais rápido atrás dos seus adversários”, falou.
Sebastian Vettel (Foto: AFP)
“Sebastian disse que tinha o carro mais veloz naquele momento, então eles reverteram a situação. Posso entender isso. Entretanto, uma vez que começa a fazer essas coisas, se torna muito complicado, pois você começa um precedente e está abrindo uma lata de minhocas – pois a cada corrida o carro que está atrás pode dizer ‘posso ir mais rápido’. Então não é uma situação fácil”, continuou.
 
Entretanto, Wolff afirmou que o time italiano não é o único a sofrer com situações assim, admitindo que a própria Mercedes já encarou questões semelhantes com suas duplas de pilotos. “Já estivemos lá. Já passamos por isso com Nico [Rosberg] e Lewis [Hamilton], e também com Valtteri [Bottas] e Lewis também”, explicou.
 
“Tivemos uma situação de pressionar os dois muito, assumindo o risco de não cruzar a linha de chegada [na China]. Então não é um problema apenas da Ferrari. Cada equipe tem essa questão se tem dois pilotos alfa”, encerrou.
 
Apesar de ter usado três ordens de equipe nas três primeiras corridas do ano, Binotto admitiu que tomar a atitude não é tão fácil quanto se parece.