Chefe da Red Bull pede redução agressiva de downforce na Fórmula 1 para 2021

A FIA decretou mudanças aerodinâmicas nos carros, especialmente no assoalho, para 2021. Christian Horner, no entanto, não gostou e quer menos downforce

A Fórmula 1 prepara-se para pequenas mudanças aerodinâmicas para 2021. Mesmo com o congelamento dos chassis – como forma de diminuir gastos após a pandemia de Covid-19 -, os carros da categoria vão ter alterações no downforce para a próxima temporada, mas Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull, não ficou satisfeito.

Para o dirigente, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) poderia diminuir ainda mais o downforce dos carros do que o determinado para o regulamento da temporada 2021 – o corte será de 10% e focado no assolho dos bólidos. A decisão da entidade visa ajudar a Pirelli a disputar mais um campeonato com os mesmos pneus e reduzir o impacto nos compostos.

“Acho que é uma questão complicada. Acredito que as equipes vão recuperar o downforce perdido, talvez até mais. A velocidade do progresso da Fórmula 1 é muito rápida”, afirmou Horner ao site Motorsport.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Christian Horner e Max Verstappen
Christian Horner (esq.) quer mais mudanças nos carros para 2021 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

“É claro que você precisa modificar alguma coisa. Isso introduz custos porque tudo que você muda cria diferença, então é preciso encontrar o balanço”, completou.

Franz Tost, chefe de equipe da AlphaTauri, também espera que a perda aerodinâmica seja recuperada rapidamente no próximo ano.

“Estamos estudando este novo regulamento e, com certeza, vamos perder muito. Mas com o desenvolvimento rápido da F1, não ficaria surpreso se não começo do próximo ano, talvez depois, os níveis estarem iguais aos atuais”, disse Tost.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube