F1

Chefe da Renault ressalta fim de semana “principalmente de baixos” em estreia de Ricciardo na Austrália

A estreia de Daniel Ricciardo não foi exatamente como o esperado. Cyril Abiteboul, chefe da Renault, ressaltou que o final de semana do australiano foi mais marcado por momentos de baixa do que pontos altos

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Daniel Ricciardo não estreou com o pé direito com a Renault no GP da Austrália. Inclusive, Cyril Abiteboul, chefe da equipe, reconheceu que o final de semana do piloto teve mais pontos baixos do que altos.
 
O #3 teve que fazer uma parada ainda na primeira volta, pois logo na largada em Melbourne acabou escapando da pista e danificando sua asa dianteira. Após ter voltado para a disputa, não demorou muito para que abandonasse. Enquanto isso, Nico Hülkenberg cruzou a linha de chegada em sétimo.
 
A esquadra francesa ainda não pôde ver todo o potencial do recém-chegado piloto, como disse Abiteboul. “Vamos ser honestos, não posso dizer isso [que Ricciardo trouxe o que a Renault esperava] após o final de semana que tivemos”, falou ao ‘Autosport’.
 
“Foi um final de semana principalmente de baixos, tirando alguns vislumbres de um desempenho muito bom e forte dele e do carro durante o treino livre, mas não importa”, continuou.
Daniel Ricciardo (Foto: Renault)
“Precisamos coletivamente fazer melhor. É um exercício de aprendizado, como sempre dizemos. Quando você troca de piloto dá alguns passos para trás antes de andar para frente. É o que estamos passando enquanto conversamos”, emendou.
 
O dirigente ainda admitiu que ficou frustrado com o início de prova de Ricciardo. “Daniel não teve a mesma sorte que Nico, que também estava tentando ganhar algumas posições na largada”, apontou.
 
“Obviamente foi um pouco extremo. Não é o começo que ele queria, que nós queríamos, mas sabemos que podemos fazer muito melhor e é muito mais fácil se fizermos as coisas certas na classificação”, emendou.
 
Mas nem tudo foi ruim no final de semana, e Cyril encerrou se mostrando feliz com o desempenho mostrado por Hülkenberg. “Foi uma boa reviravolta da classificação de Nico. Mas acho que precisamos dar muitos créditos para ele – uma excelente largada, excelente primeira volta, e uma ótima execução da equipe em termos de estratégia”, pontuou.
 
“Foi marcante. Mas diria que precisamos tornar sua vida um pouco mais fácil, tanto na classificação, para ter uma melhor posição, quanto na corrida”, encerrou.