F1

Chefe elogia atualizações da Red Bull, mas segue surpreso com vitória de Verstappen

Christian Horner, chefe de equipe, esperava uma Red Bull progressivamente mais rápida. Mas a ponto de vencer na Áustria? O dirigente, ainda digerindo o triunfo com Max Verstappen, disse “ainda não entender” o que causou o ritmo forte

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
A Red Bull trabalha pesado nos bastidores para desenvolver o RB15, mas talvez nem o mais otimista pudesse esperar um ritmo forte como o apresentado por Max Verstappen no GP da Áustria, que rendeu a primeira vitória da equipe no ano. Christian Horner, comandante da equipe taurina, é um dos que ainda busca explicações para o que aconteceu no Red Bull Ring: de acordo com o dirigente, ainda não se sabe ao certo o que causou o ritmo tão forte do holandês nas voltas finais.
 
“A gente estava impossível na segunda metade da corrida”, recordou Horner. “O carro estava incrivelmente rápido. A verdade é que nós ainda não entendemos o motivo. É óbvio que as atualizações que colocamos no carro nas últimas corridas começaram a se encaixar e funcionar bem, mas essa corrida foi vencida do jeito difícil. A gente precisou ir e passar três dos nossos quatro maiores adversários, e o Max [Verstappen] fez isso”, seguiu.
Max Verstappen venceu de forma inesperada na Áustria (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
A vitória, primeira da Red Bull no ano e primeira de um motor Honda desde 2006, traz ânimo para Milton Keynes. Helmut Marko, consultor da equipe, voltou a mirar a meta de vencer cinco GPs em 2019. Horner, mais cauteloso, fala apenas em ir no embalo do bom momento atual.
 
“A gente leva as coisas uma corrida de cada vez. Conseguimos uma vitória com a Honda, que é um grande momento para a equipe. Acho que eles só tiveram uma vitória em 27 anos, então agora precisamos construir em cima disso. Vamos seguir encontrando performance, seguir em frente, mas nosso primeiro objetivo já está mais do que alcançado”, encerrou.
 
Em termos de campeonato, a Red Bull agora tem Verstappen em terceiro no Mundial de Pilotos, na frente da dupla da Ferrari. O problema segue sendo o de Construtores, onde a equipe taurina aparece bem atrás da italiana – muito por conta do desempenho ainda fraco de Pierre Gasly.
 
A próxima etapa da F1 é o GP da Inglaterra. A corrida de Silverstone acontece em duas semanas.
 

Paddockast #23
Lágimas em Le Mans



Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.