Chefe da F1 propõe mudanças e fala em eliminar treinos livres: “Público não gosta”

Declaração de Stefano Domenicali foi dada à emissora de TV neste domingo e confirma interesse de mudança por parte do CEO da Fórmula 1, já detalhado em entrevista no ano passado

A Fórmula 1 pode mudar o formato dos fins de semana de GP em breve, no que depender do CEO da categoria, Stefano Domenicali. O dirigente acompanhou a primeira etapa da temporada da MotoGP, em Portugal, e afirmou que é a favor de uma alteração para tornar as etapas mais emocionantes. Na verdade, o italiano entende que atualmente o Mundial poderia ter menos treinos livres e mais sessões decisivas. Isso também é um reflexo do longo calendário da F1, além da adição das corridas sprints.

O Mundial de Motovelocidade promoveu mudanças para 2023, reduzindo os treinos livres para acrescentar corridas sprint. Já na F1, a programação prevê três treinos, sendo dois na sexta-feira e um no sábado, todas com duração de uma hora. No caso da corrida curta, as equipes perdem uma sessão livre.

Relacionadas


“Sou a favor do cancelamento dos treinos livres [no atual formato], que são de grande utilidade para os engenheiros, mas que o público não gosta”, disse Domenicali em entrevista à emissora de televisão portuguesa Sport TV.

Não é a primeira vez que o chefão fala sobre o interesse de mudar os treinos. No ano passado, em entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera, Domenicali detalhou as ideias que estão sendo discutidas para o TL1 e para o TL2.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Domenicali quer tornar as sessões de treino mais competitivas, que possam valer pontos o campeonato (Foto: Fórmula 1)

“Em um fim de semana normal, aquele que consiste em treinos livres 1 e 2 na sexta-feira, cada sessão deve conceder pontos ou voltas únicas de classificação, ou uma classificação para uma corrida de sábado diferente e mais curta, em vez do terceiro [treino] livre, talvez com o mecanismo do grid reverso”, falou.

“Estamos colocando muitas ideias em cima da mesa. Muitas pessoas dizem que não, mas vimos em algumas ocasiões a beleza [de entregar grids mistos] de mais ultrapassagens”, completou.

O objetivo do CEO da F1 é deixar as sessões de treino mais atrativas e que possam ser competitivas para os campeonatos de Pilotos e de Construtores. Caso alguma mudança seja aprovada, o que aconteceria no segundo semestre deste ano, a expectativa é de que as novas regras sejam aplicadas apenas na temporada de 2024.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.