Cofundador da Brabham, engenheiro Ron Tauranac morre aos 95 anos na Austrália

Ron Tauranac esteve ao lado de Jack Brabham para fundar a lendária equipe britânica nos anos 1960 e também foi o responsável pela Ralt, que tantos títulos conquistou em categorias de base como a Fórmula 2, Fórmula 3 e a Fórmula Atlantic. A família confirmou sua morte nesta sexta-feira em Queensland, na Austrália

A sexta-feira (17) começa com uma notícia triste para o mundo do esporte a motor. Morreu Ron Tauranac, cofundador da Motor Racing Developments, a lendária equipe Brabham, ao lado de Jack Brabham, nos anos 1960. O inglês radicado na Austrália também foi um dos responsáveis pelo nascimento da Ralt, marca que fez sucesso enorme em categorias de base como a Fórmula 2, Fórmula 3 e a Fórmula Atlantic, levando brasileiros como Ayrton Senna, Nelson Piquet e Roberto Pupo Moreno ao sucesso entre as décadas de 1970 e 1980. A família confirmou a morte de Tauranac, que se foi dormindo nesta manhã em sua casa, em Queensland, na Austrália. O engenheiro tinha 95 anos.

“A família Tauranac anuncia com pesar a perda de Ron Tauranac aos 95 anos. Ron morreu em paz durante o sono nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira na sua casa em Sunshine Coast, em Queensland, Austrália”, diz o comunicado.

Ron Tauranac e Jack Brabham
Ron Tauranac e Jack Brabham formaram uma parceria de sucesso na F1 (Foto: Forix)

“Ativo, saudável e independente até o fim, ele sentiu a necessidade constante de buscar algo e sempre tinha o próximo objetivo na mente. Ele nunca descansou sobre os louros, e tinha sua mentalidade de engenheiro sempre comprometida. Quando recentemente perguntamos qual o melhor carro que ele projetou, ele simplesmente respondeu: ‘O próximo’”.

“Ele teve uma vida extraordinária. Nós todos estamos incrivelmente orgulhosos do que ele alcançou e profundamente entristecidos pela sua perda”, lamentou a família. Tauranac deixou duas filhas: Jann e Julie.

Nascido em Gillingham, na Inglaterra, em 13 de janeiro de 1925, Ron se mudou cedo com sua família para a Austrália. Chegou a fazer, ainda na adolescência, treinamentos com aviões de caça pela Força Aérea Australiana.

No começo dos anos 1950, se uniu ao irmão Austin para a construção dos primeiros carros, então dedicados a subidas de montanha, e os dois criaram a marca Ralt: Ron e Austin Lewis Tauranac. Foi neste cenário que Ron conheceu Jack Brabham.

Tauranac seguiu Brabham e seguiu rumo à Europa. Na Inglaterra, em 1960, ajudou Jack a fundar a Motor Racing Developments. A parceria levou Brabham a conquistar, em 1966, seu terceiro título do Mundial de Fórmula 1, sendo o único a fazê-lo pela sua própria equipe (as primeiras duas conquistas, em 1959 e 1960, foram pela Cooper).

Com a aposentadoria de Jack Brabham, Tauranac assumiu o comando da Brabham antes de vender a equipe em 1972 para Bernie Ecclestone. Mas o engenheiro não ficou longe das pistas: em 1974, trabalhou na Trojan, equipe que teve vida curta na F1, mas entrou para a história mais uma vez ao contratar Patrick Head, que foi fundamental para o desenvolvimento da Williams anos depois.

No ano seguinte, Tauranac colocou novamente na pista a Ralt e se notabilizou como um dos construtores mais vitoriosos nas categorias de base, produzindo carros para a Fórmula 2, Fórmula 3, Fórmula Atlantic e a Super Vê, nos Estados Unidos. Com seus carros, ajudou pilotos como Senna, Piquet, Maurício Gugelmin e Roberto Pupo Moreno a conquistar vitórias e títulos.

Em 1988, vendeu a Ralt para a March e chegou a trabalhar em projetos da Fórmula 1 com a Honda e a Arrows, mas voltou para a Austrália e passou a viver em Sydney. Aposentado, mudou-se para Queensland há dois anos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube