Com anúncio iminente sobre futuro, Button admite que pode seguir passos de Webber e correr no Mundial de Endurance

Jenson Button ainda está com seu futuro pendurado sobre se fica na F1 ou se vai atrás de outras coisas para fazer na carreira. Caso seja essa a opção, está cada vez mais estabelecido que ele vai querer uma chance no WEC

Nunca foram tão fortes os boatos sobre a saída de Jenson Button da F1. Por todos os cantos do paddock há expectativa sobre se o campeão mundial de 2009 vai anunciar a despedida neste final de semana de GP do Japão. Nesta sexta-feira (25), o inglês falou sobre a possibilidade de ir ao Mundial de Endurance quando, de fato, encerrar a carreira na F1.
 
Button foi claro – gostaria, sim, de correr no WEC quando terminar na F1. Para ele, vencer uma corrida de um dia de duração é o tipo de coisa que qualquer piloto teria prazer de atingir na carreira. Sabe-se que a Porsche já teve interesse em Button quando havia dúvida sobre seu destino ainda no ano passado, impulsionado pelo amigo Mark Webber.
 
"Na situação correta, posso me ver fazendo isso no futuro. Assisti muitas corridas nos últimos anos e amo a atmosfera das equipes – é um grande evento de equipe. Conseguir uma vitória numa corrida de 24 horas é algo que todo piloto adoraria. É uma conquista especial. Posso, definitivamente, me ver fazendo isso no futuro", disse em entrevista à revista inglesa 'Autosport'.
Mark Webber e Jenson Button (Foto: Getty Images)
Outra atividade que é bem vista aos olhos de Button é o Ralicross. Jenson lembrou que seu pai, John Button, andou na categoria na década de 1970. Mas por lá, onde Jenson já testou, ele pensa mais em estar envolvido como dono de equipe que como piloto.
 
"Eu gostaria de ter um time no ralicross. É algo em que meu pai correu, adorou e eu gosto também depois de guiar algumas semanas em Lydden Hill. Isso é possível. Eu não sei se vou guiar, não sei se seria bom. Creio que parece uma categoria divertida para se envolver. Então isso é algo para o futuro, definitivamente. É definitivamente algo que eu analisei", contou. 
 
"Tem outras coisas que eu gostaria de fazer que não seriam um trabalho, mas eu adoraria atingir em outros esportes. Saindo da minha carreira na F1, seria muito divertido fazer algo diferente", seguiu.
 
O diretor-executivo da McLaren, Jonathan Neale, havia dito que quer a permanência de Button, mas ressaltou que "se o piloto não quer ficar, você tem de respeitar". Jenson não quis comentar, mas deixou no ar que nem sequer conversou o Neale.
 
"Não tenho mais a adicionar sobre o ano que vem. Acho que já disse o bastante sobre, e quem disse que Jonathan está falando comigo?", questionou.
 
E o que é mais importante na decisão sobre 2016?
 
"Suceder em qualquer coisa que eu faça, isso é o mais importante", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube