F1

Com aprovação do Conselho Mundial, F1 fica próxima de incluir pontuação para volta mais rápida em 2019

Ideia de ponto para a volta mais rápida da corrida fica pendente à aprovação de estrategistas e conselheiros da Fórmula 1. Porém, chance do ponto extra vale apenas para os dez primeiros colocados de cada corrida

Grande Prêmio / Redação GP, Campinas
A Fórmula 1 está próxima de conseguir a mudança no regulamento que inclui um ponto para a volta mais rápida da corrida, valendo já a partir desta temporada. O Conselho Mundial da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) aprovou os planos, e agora a inclusão do ponto extra necessita passar por uma concordância majoritária do grupo de estrategistas da F1, tendo a unanimidade dos conselheiros.

As votações devem acontecer até segunda-feira (11), quatro dias antes do primeiro treino livre do GP da Austrália, prova que abre a temporada no próximo fim de semana.
A F1 se aproxima de uma mudança histórica ao voltar a premiar o dono da volta mais rápida (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Assim como na Fórmula E, onde um campeonato já foi decidido pelo bônus, a possibilidade de conquistar o ponto pela volta mais rápida será apenas disponível aos dez primeiros colocados. A medida é pra evitar pilotos da parte de trás do grid troquem pneus na parte final das corridas somente para tentar a chance de conquistar o ponto extra.

Será a primeira vez que a F1 premia a volta mais veloz de uma corrida desde 1959. A regra fez parte do regulamento das primeiras dez temporadas da categoria, mas foi removida em 1960 para a entrada do ponto para o sexto colocado. 

O líder absoluto na estatística de voltas mais rápidas na F1 é Michael Schumacher, com 77. O segundo colocado em todos os tempos no esporte ainda está em atividade: é Kimi Räikkönen, que passa a representar a Alfa Romeo nesta temporada. O finlandês tem 46 voltas mais rápidas na carreira, superando Alain Prost e Lewis Hamilton, empatados com 41.

Quanto ao restante da pontuação, nada muda por enquanto no sistema adotado pela FIA desde 2010, que compreende 25 pontos para o vencedor, 18 para o segundo colocado, 15 para o terceiro, 12 para o quarto e dez para o quinto. Oito pontos recebe o sexto colocado em cada prova, com seis para o sétimo, quatro para o oitavo, dois para o nono e um para quem fechar o top-10.

O Liberty Media sugeriu mudanças para contemplar os 15 primeiros ou então o grid todo, mas as discussões sobre o tema devem ficar para a temporada 2020 ou 2021.

A temporada 2019 da Fórmula 1 começará no próximo dia 17, com o GP da Austrália, que acontece no circuito de Albert Park, em Melbourne.