Com ausência da Lotus em Jerez, Hülkenberg diz não saber se errou ao rejeitar oferta do time: "Difícil dizer"

Ainda sem conhecer a performance do novo bólido da Lotus, Nico Hülkenberg afirmou que não é possível dizer se cometeu um erro ao rejeitar a proposta do time no ano passado

Nico Hülkenberg avaliou que ainda não é possível dizer se cometeu um erro ao recusar a proposta da Lotus para substituir Kimi Räikkönen na reta final da temporada 2013 da F1. O germânico foi convidado pelo time para assumir o posto do campeão de 2007, que estava lesionado, mas, mesmo sabendo do interesse do time para este ano, rejeitou a oferta.
 
Então chefe da Lotus, Eric Boullier deixou claro o interesse em Hülkenberg em mais de uma ocasião, mas dependia de um acerto com o grupo de investimento Quantum, que não se concretizou. Assim, Nico optou por retornar à Force India em 2014.
Depois de uma temporada com a Sauber, Hülkenberg voltou para a Force India (Foto: Sauber)
Em meio a dificuldades financeiras, o time de Enstone atrasou o desenvolvimento do novo carro e não participou do primeiro teste da pré-temporada, realizado em Jerez. Questionado se sentia alívio por não vestir o uniforme da Lotus, especialmente no momento difícil atravessado pelo time, Hülkenberg afirmou: “É difícil dizer”.
 
“Têm um pouco de incerteza e é uma situação bem incerta no momento [para a Lotus]”, avaliou. “Mas eu não sei se isso afeta a forma deles. Isso ainda precisa ser visto. Vamos ver como eles se desenvolvem”, continuou. 
 
Mesmo citando o momento de dúvida vivido na F1, Hülkenberg se mostrou encorajado após o primeiro teste em seu retorno à Force India.
 
“Acho que o time cresceu”, opinou. “Deu para ver isso quando voltei à fábrica pela primeira vez. A infraestrutura mudou”, contou.
 
“Têm mais pessoas também e o time está crescendo, então é um bom sinal”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar