Com expectativa de MCL32 rápido nas curvas, diretor da McLaren mostra otimismo com novo regulamento técnico

A McLaren mostrou uma postura bastante otimista durante a apresentação de seu novo carro, o MCL32. Apesar dos dirigentes estarem com pés no chão e reconhecerem a realidade da equipe, admitiram ver com bons olhos as mudanças no regulamento da F1 para 2017

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Os ânimos dentro da McLaren estão bastante otimistas. Durante a apresentação do MCL32, que aconteceu na manhã da última sexta-feira (24), membros da equipe deixaram claro todos os objetivos traçados pelo time.
 

A escuderia baseada em Woking mostrou estar olhando com bons olhos as novas mudanças no regulamento da F1. Com isso, é aguardado com ansiedade os testes pré-temporada que acontecerão em Barcelona.
 
Diretor da equipe, Éric Boulier negou declarações de que a McLaren terá um “motor para vencer corridas”, mas mostrou estar otimista com resultados competitivos junto com a Honda. “A comunicação entre nós está muito próxima, temos videoconferências regularmente e muitos técnicos da Honda estão trabalhando na Inglaterra”, comentou.
O novo McLaren MCL32 ao lado de Vandoorne e Alonso (Foto: McLaren/Twitter)
“É preciso trabalhar com uma fábrica para ser campeão do mundo, nunca vamos conquistar um título sendo clientes da Mercedes. Sabíamos que nos custaria muito tirar o atraso com a Honda. Temos objetivos realistas. Aqui as coisas não mudam da noite para o dia”, completou.
 
Ainda, as mudanças na aerodinâmica pode ajudar o time do agora carro laranja. “Nosso carro anterior era rápido em curvas, mas lento nas retas. Isso será muito importante no carro de 2017. Com base neste trabalho, aprendemos muitas coisas que agora serão mais efetivas”, disse Boullier.
 
Por fim, o dirigente minimizou o fato de ter apenas um patrocinador máster para o time, a Chandon. “Não temos os mesmos meios que a Mercedes ou Red Bull, mas somos ágeis para usar os meios que temos de forma consciente”, explicou.
 
“Não é sobre ter muitos patrocínios no carro, mas sim em quanto te pagam e como irão aproveitar isso”, encerrou.

PADDOCK GP #66 RECEBE LUCAS DI GRASSI, DEBATE F-E E NOVOS CARROS DA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube