Com Magny-Cours e Paul Ricard como candidatas, ministro garante apoio do governo ao retorno da F1 à França

Ministro do Esporte, Patrick Kanner afirmou que o governo da França está disposto a apoiar o retorno do país ao calendário da F1. Chefe da pasta apontou Magny-Cours e Paul Ricard como candidatos

Pouco após Bernie Ecclestone descartar o retorno da França ao calendário da F1, o ministro do Esporte garantiu que o governo está disposto a apoiar a realização da corrida. O último GP realizado em solo francês aconteceu em 2008, na pista de Magny-Cours.
 
O dirigente máximo da F1, entretanto, acredita que a França não tem um circuito bom o bastante para receber a categoria hoje liderada por Lewis Hamilton.
Magny-Cours recebeu a F1 entre 1992 e 2008 (Foto: Force India)
“Não há um bom circuito na França”, criticou Ecclestone em entrevista à emissora inglesa Sky Sports. “Nós deixamos a França porque não funcionava para ninguém. A França poderia conseguir apoio para receber uma corrida, mas onde é, ninguém está animado com isso”, avaliou.
 
 Falando à emissora francesa Canal Plus, Patrick Kanner, ministro do Esporte da França, afirmou que o governo está disposto a apoiar a realização da prova e indicou Magny-Cours e Paul Ricard como candidatos. 
 
Casa da F1 na França entre 1992 e 2008, Magny-Cours não é lá muito popular por conta de sua localização, mas o traçado de Le Castellet é uma opção mais bem localizada.
 
“O GP da França é um assunto complicado”, admitiu Kanner, que admitiu recentemente ter encontrado Bernie. “Temos dois candidatos em potencial em Le Castellet e Magny-Cours”, continuou.
 
“Nosso governo está pronto para apoiar os esforços em condições que ainda precisam ser determinadas”, concluiu o ministro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube