Como forma de monitorar condição física dos pilotos em acidentes, F1 planeja introduzir uso de luvas biométricas

Para melhorar o atendimento médico dos pilotos em caso de acidentes, a F1 pretende introduzir luvas biométricas, a partir de 2018, para monitorar o pulso e a quantidade de oxigênio no sangue. Os sensores já foram testados neste ano, durante o GP da Hungria

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A F1 planeja introduzir luvas biométricas na próxima temporada em uma tentativa de auxiliar o corpo médico a avaliar melhor a condição física dos pilotos após acidentes. A informação está em uma matéria do site norte-americano ' Motorsport.com'.

 
A nova tecnologia possui um sensor de 3mm de espessura que vai monitorar a frequência do pulso de cada competidor, além da quantidade de oxigênio no sangue. Ainda segundo a publicação, em mais alguns anos, a F1 poderia adicionar mais sistemas para acompanhar a temperatura corporal e a frequência respiratória.
F1 pretende usar sensores nas luvas dos pilotos (Foto: Red Bull/Getty Images)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O sensor inicial será costurado dentro das luvas de todos os pilotos do grid de 2018. O equipamento foi testado neste ano durante o GP da Hungria. Os pilotos da Mercedes, da Ferrari e da Red Bull foram os escolhidos para essa primeira avaliação. Uma decisão será tomada em breve sobre o melhor ponto do sensor.

 
O projeto tem o apoio do Instituto Global para a segurança do esporte a motor e espera-se que os dados possam fazer a diferença em incidentes maiores na pista. O delegado médico da FIA, o dr. Ian Roberts, afirmou à revista 'Auto', publicação da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), que o monitoramento pode ajudar a tomar decisões mais rápidas no caso de um resgate.
 
"Sabemos que o acompanhamento das pessoas é essencial em termos de cuidados médicos. E os acidentes com os pilotos não são diferentes. Por isso, gostaríamos de começar a monitorá-los e avaliá-los o mais rápido possível", afirmou o médico.
HÁ ESPERANÇA?

MESMO COM RESULTADO RUIM, VETTEL GANHA FORÇA NA MALÁSIA  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube