Confira declarações dos pilotos após GP da Bélgica, 13ª etapa da temporada 2016 do Mundial de F1

Nico Rosberg sumiu num GP da Bélgica que vai ser um dos momentos mais memoráveis da temporada quando o sol de 2016 cair. As confusões do dia, contudo, não chegaram a Nico, que também não conseguiu retomar a liderança. Lewis Hamilton saiu de 21º para terceiro e segue na ponta da F1

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

O GP da Bélgica deste domingo (28) foi sem qualquer sombra de dúvidas uma das corridas da temporada 2016 da F1 para ser lembrada. Desde a largada, quando as duas Ferrari se tocaram e a Max Verstappen, Pascal Wehrlein acertou a traseira de Jenson Button e fez sobrar para Carlos Sainz Jr, que a insanidade tomou conta. Uma coisa, porém, foi regular: Nico Rosberg, o vencedor.

 

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});
(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Atrás de Rosberg, Daniel Ricciardo também passou pouco sufoco. Assumiu o segundo lugar na primeira volta, quando os três carros entre Rosberg e ele se encontrarem. Jamais foi ameaçado, mesmo quando Lewis Hamilton se aproximou. Terceiro pódio seguido para Ricciardo.

 
Hamilton, diga-se, largou em 21º e terminou na terceira colocação. A chance dourada de Nico roubar a liderança do Mundial caiu por terra num dia de muita sorte de Lewis. Nico Hülkenberg novamente passou perto do pódio, mas segue sem alcançá-lo. Sergio Pérez foi o quinto, seguido por Sebastian Vettel e Fernando Alonso, outro que largou no fundo do grid. Saiu do 22º posto para marcar seis pontos numa pista onde a McLaren era motivo de chacota um ano atrás.
 
Valtteri Bottas, Kimi Räikkönen e Felipe Massa encerraram o top-10 e os pontos. A corrida foi ruim para Massa, no fim das contas, mas ele ao menos volta a marcar ponto depois de quatro provas de jejum. Max Verstappen foi o 11º, com Esteban Gutiérrez, Romain Grosjean, Daniil Kvyat e Jolyon Palmer encerrando na volta do líder.
O pódio em Spa-Francorchamps teve Daniel Ricciardo, Nico Rosberg e Lewis Hamilton (Foto: Beto Issa)
Esteban Ocon e Felipe Nasr fecharam a corrida uma volta atrás. Kevin Magnussen, protagonista do susto do final de semana, Marcus Ericsson, Sainz Jr, Button e Wehrlein não completaram. A F1 volta em uma semana para o GP da Itália.

Confira as declarações de cada piloto:

FORCE INDIA
 
Sergio Pérez, quinto: “Foi um ótimo dia para a equipe, e estou muito orgulhoso por ter terminado em quinto, mas foi uma corrida complicada desde a largada. Eu escolhi uma linha mais ampla na entrada da curva 1, mas tive de ir bem por fora para evitar o acidente, e isso me custou algumas posições. Caí para nono, e isso comprometeu minha corrida. Consegui fazer bons progressos no começo, mas a cada vez que eu colocava pneus novos, eu precisava força-los muito, já que precisava atacar Felipe Massa e, em seguida, Fernando Alonso. Ainda consegui fazer tudo do meu jeito e consegui trazer um bom resultado para a equipe. Subir para o quarto no Mundial dos Construtores é algo fantástico para nós, mas nós não podemos amolecer porque ainda há um longo caminho pela frente na temporada. Espero que nós possamos manter nosso momento e seguir marcando muitos pontos”.
 
McLAREN
 
Fernando Alonso, sétimo: “Foi uma corrida empolgante para guiar e eu tive uma boa impressão ao longo dela. Tivemos bom ritmo neste fim de semana; fizemos mais do que o esperado para esta pista; estivemos no top-10 com Jenson ontem na classificação e marcamos pontos hoje. Acredite em mim: há meses atrás, seria impensável fazer isso num circuito como esse. Este é um progresso, um progresso de verdade. E, depois de todo o azar que nós tivemos neste fim de semana, nós tivemos uma boa sorte hoje. Largamos em último, mas conseguimos administrar e evitar todos os incidentes, ganhamos algumas posições graças ao safety-car, e então mais algumas delas por causa da bandeira vermelha. Nós, em seguida, calçamos pneus novos e nos encontramos em quarto lugar e, melhor ainda, tínhamos ritmo para gerir a situação depois. Ok, não conseguimos segurar Lewis [Hamilton], ‘Checo’ [Pérez] ou Seb [Vettel] porque eles eram muito rápidos, mas tivemos ritmo suficiente para manter Valtteri [Bottas] atrás até a bandeira quadriculada. Finalmente, é uma grande notícia termos ultrapassado a Toro Rosso no Mundial de construtores. Acho que podemos estar regularmente nos pontos a partir de agora. Assim, para resumir, neste fim de semana o que vimos foi a evidência de um progresso muito bom para a equipe. Estamos no rumo certo, isso é fato”.
 
Jenson Button, abandonou: “Nós parecíamos figurar bem na luta pelos pontos hoje, por isso é decepcionante não ter marcado nenhum, mas acontece. Tive uma largada muito boa, fiquei à frente de uma Williams, me coloquei à frente de uma Red Bull e estava lado a lado com uma Force India. Mas então perdi uma série de posições na La Source e escapei para fora. Voltei à pista, mas Pascal [Wehrlein] me tocou na curva 5, danificando a parte traseira do meu carro. Tivemos uma série de danos e não conseguimos completar a corrida. Depois de uma corrida curta, não tenho muito mais a dizer”.
 
WILLIAMS
 
Valtteri Bottas, oitavo: “Foi um dia decepcionante e é uma pena que nós tenhamos perdido a chance que tivemos no início da corrida. Estávamos em uma ótima posição após a largada e, quando o safety-car entrou, então nós paramos imediatamente. Em seguida, perdemos muitas posições. Tentamos tirar o máximo de proveito da corrida depois disso e fiquei feliz que, pelo menos, conseguimos alguns pontos no fim das contas, mas no geral foi decepcionante. Olhando para o futuro, temos mais uma corrida na próxima semana e, obviamente, precisamos aprender a partir de hoje. Espero que possamos ser melhores em Monza”.
Romain Grosjean durante o segundo treino livre em Spa-Francorchamps, na Bélgica (Foto: Beto Issa)
HAAS
 
Romain Grosjean, 13º: “Bem, foi uma largada muito boa e uma primeira volta também muito boa. Infelizmente, não tive nenhuma velocidade final no começo da corrida. Alguma coisa não aconteceu da forma correta. Levou muito tempo para resolver isso. Meu último stint não foi ruim. Fiz muitos bons tempos, mas o estrago já tinha sido feito. Pelo lado positivo, estou muito mais feliz com o carro do que estava recentemente, de modo que isso é pelo menos ótimo. É só uma pena que perdemos uma chance de obter um bom resultado”.
 
Esteban Gutiérrez, 12º: “Não foi o resultado que nós esperávamos. Nós lutamos muito duro para entrar no top-3 e ainda que não tivéssemos conseguido chegar lá, acho que fizemos um bom trabalho. O equilíbrio do carro estava bom e tivemos um ritmo razoável. Esta é uma das coisas que precisamos manter nas próximas corridas porque isso vai nos manter consistentes e vai nos ajudar a tirar mais do nosso carro. Perdemos algum tempo com o safety-car antes da bandeira vermelha, mas às vezes isso acontece. Terminamos em 12º, então não estou completamente satisfeito, mas vamos seguir acelerando”.
 
SAUBER
 
Marcus Ericsson, abandonou: “Foi um dia complicado. Quando eu estava fora do grid, nós identificamos problemas com o sistema de refrigeração, de modo que tivemos de fazer alguns reparos. Essa foi a principal causa de eu ter largado do pit-lane. Fiz uma boa primeira volta, consegui alcançar o pelotão à minha frente, mas então, de forma inexplicável, perdi a sexta marcha na terceira volta. Então, foi o fim da minha corrida, tive de abandonar. Foi um fim de semana cheio de problemas, mas tenho certeza de que vamos ser fortes em breve”.
 
TORO ROSSO
 
Daniil Kvyat, 14º: “Nós lutamos muito duro hoje e, após a bandeira vermelha, ainda havia alguma esperança, em algum ponto parecia que nós poderíamos sonhar em marcar alguns pontos. Acho que nós fizemos um ótimo trabalho com os pneus, mas nós começamos a sofrer com a velocidade em linha reta e o déficit foi cada vez maior, obviamente depois do segundo pit-stop. Foi uma pena, mas ao menos nós podemos dizer que fizemos nosso melhor hoje. Infelizmente, poucas pessoas vão ver isso, que nós só terminamos em 14º e ficamos de fora dos pontos, mas não foi ruim. Vamos ter de aproveitar nossas oportunidades em circuitos que são mais adequados a nós”.
 
Carlos Sainz, abandonou: “O quão frustrante é ter de abandonar a corrida por causa de um furo no pneu! Fiz uma das melhores largadas da minha vida e, ao fim da primeira volta, havia ganho sete posições e estava em sétimo lugar. Mas então peguei alguns detritos de outros carros na largada na minha segunda volta e aí o pneu foi embora, explodindo depois da Eau Rouge. Definitivamente não foi o melhor momento da minha vida, especialmente depois de ter feito uma largada tão boa. É frustrante ter de terminar a corrida desta forma, mas vou seguir lutando e esquecer hoje o mais rápido possível”.
On board da pancada que tirou Kevin Magnussen da corrida (Foto: Reprodução/Twitter)
RENAULT
 
Jolyon Palmer, 15º: “Tivemos nossa melhor classificação aqui. Os dois carros tiveram uma grande largada e correram entre os dez primeiros por um tempo. Poderíamos ter tido uma corrida forte, mas o safety-car juntou todo mundo. É uma pena não termos conseguido resultados melhores no fim, mas este fim de semana foi melhor do que esperávamos no geral. Vi o acidente de Kevin pelos retrovisores. Não é bom ver isso porque foi numa parte muito rápida da pista. Fico feliz por saber que ele está bem”.
 
MANOR
 
Esteban Ocon, 16º: “Estou [muito orgulhoso]. Estou muito orgulhoso por alinhar no grid e estou muito orgulhoso por ver a bandeira quadriculada. É um dia que eu vou recordar pelo resto da minha vida. Não foi uma corrida fácil, isso é fato, mas estou satisfeito com meu primeiro GP. Tantas coisas aconteceram nesta primeira volta, foi uma loucura. Foi difícil para mim ficar longe de tudo isso e, ao mesmo tempo, dar o máximo e lutar por posições. Acima de tudo isso, tinha de lembrar de todos os procedimentos, o que não é difícil, mas eu tinha de lembrar disso no calor do momento e, claro, tudo acontece muito mais rápido na F1. Não foi fácil administrar a situação de bandeira vermelha, mas o mais importante é que estou feliz por Kevin estar tão bem. Acho que fizemos o máximo com o carro hoje e estou feliz por ter terminado em 16º e à frente da Sauber. Aprendi muito sobre como administrar uma corrida, especialmente com todas as situações diferentes acontecendo. Essa pista é tão exigente para o desgaste que acabou sendo um bom teste para a gestão dos pneus. Estou muito satisfeito com isso porque, realmente, não tínhamos pneus sobrando para acelerar até o fim. Não estou cansado, acho que poderia facilmente fazer mais 24 horas. Mas acho que tenho de esperar uma semana. Há muito o que pensar e refletir sobre isso, mas estou pronto para Monza, onde quero trabalhar em classificação e dar um passo em frente. Agradeço a todos na equipe pelo fim de semana e estou mais animado para o próximo”.
 
Pascal Wehrlein, abandonou: “Tive um azar enorme. Na curva 5, os dois pilotos à minha frente estavam lutando por posição, freando tarde, perdendo a trajetória, então tentei passa-los entrando por fora na curva 6. Então, os dois vieram para a parte de dentro, e quando eu os vi quis frear e me mover para dentro, mas não pude evitar a batida. Fiquei bem infeliz com isso, mas isso pode acontecer na primeira volta quando você está largando no meio do bolo, então não posso me queixar e só quero que venha logo a próxima vez em Monza. Acho que o nono lugar no Q1 foi uma prova do quão forte nós estávamos aqui no fim de semana. É isso que vou levar para Monza e trabalhar para manter. Claro, estou triste pela equipe por causa do que poderia ter sido hoje minha corrida, especialmente com todos os incidentes que criaram algumas oportunidades. Mas vamos voltar e lutar no próximo fim de semana. Não há muito tempo para esperar”.
PADDOCK GP #43 DEBATE INDY E MOTOGP E FAZ PRÉVIA DA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube