Confira declarações dos pilotos após GP da Bélgica 2020 de Fórmula 1

Lewis Hamilton venceu mais uma vez na temporada 2020 e está a duas conquistas de igualar o histórico feito de Michael Schumacher na Fórmula 1. Valtteri Bottas e Max Verstappen fecharam o pódio no GP da Bélgica

O GP da Bélgica foi um passeio de Lewis Hamilton. Largando na pole, o hexacampeão mundial controlou a corrida do jeito que quis e só levou sustos no final, novamente com o desgaste dos pneus. Mesmo assim, não foi ameaçado pelos rivais.

Com a conquista, Hamilton chegou à 89ª vitória na Fórmula 1 e se aproxima de igualar o recorde de Michael Schumacher, maior vencedor da categoria com 91 triunfos.

Valtteri Bottas e Max Verstappen fecharam o pódio em segundo e terceiro lugares, respectivamente, mantendo a ordem do grid de largada.

Daniel Ricciardo foi o quarto, seguido por Esteban Ocon, Alexander Albon, Lando Norris, Pierre Gasly, Lance Stroll e Sergio Pérez, completando assim a zona de pontuação. A Ferrari novamente decepcionou. Sebastian Vettel terminou apenas em 13º e Charles Leclerc foi o 14º colocado.

A prova, no entanto, teve apenas 19 competidores. Carlos Sainz Jr. teve problemas em sua McLaren e sequer alinhou no grid.

F1; LARGADA; GP DA BÉLGICA; SPA-FRANCORCHAMPS
Lewis Hamilton contornou na frente a primeira curva do GP da Bélgica (Foto: Mercedes)

Confira as declarações dos pilotos:

Lewis Hamilton, vencedor: Hamilton assume nervosismo no final da prova em Spa: “Não foi das mais fáceis”

Valtteri Bottas, segundo: Bottas lamenta chance perdida contra Hamilton na largada em Spa: “Foi muito bem”

Max Verstappen, terceiro: “Solitário” Verstappen lamenta corrida “bem chata” mesmo com pódio na Bélgica

Daniel Ricciardo, quarto: Em busca de pódio, Ricciardo brinca que torceu para Mercedes quebrar em Spa

Esteban Ocon, quinto: 5°, Ocon se empolga com evolução da Renault em Spa e já projeta Monza: “Dá para melhorar”

Alexander Albon, sexto: “Uma corrida frustrante, foi bem difícil fazer qualquer coisa. Sabíamos antes da corrida que as duas Renault seriam difíceis de ultrapassar com a velocidade de reta que tinham, e esse foi de fato o caso. No começo me senti bem com os pneus macios e até passamos [Esteban] Ocon nos boxes quando mudamos para médios, a parada foi ótima. Não esperava tanta degradação deles, porém, então talvez não tenha sido a melhor escolha ao final de tudo, mas empurrei o máximo que eu pude. Os pneus simplesmente acabaram. Vamos olhar e ver o que podemos aprender antes de nosso foco mudar para Monza daqui uns dias, mas é bom subir para quarto no campeonato, é um sinal de que estamos progredindo.”

Lando Norris, sétimo: “No fim, uma boa corrida, de décimo para sétimo, estou bem feliz. Foi uma largada complicada, não sei bem o que aconteceu no fim da reta oposta. Tinha um resto de água ou óleo na pista e perdi completamente a traseira, me fazendo perder algumas posições. Mas o resto da corrida foi bom. Controlei meu ritmo quando precisei, sabendo que Renault e Racing Point eram mais rápidas com o mesmo tipo de pneu. O carro estava forte e com bom ritmo. Mais uma volta e eu teria ficado em sexto, mas ainda estou feliz com o sétimo lugar.”

F1; FÓRMULA 1; PIERRE GASLY
Pierre Gasly garantiu o entretenimento neste domingo em Spa (Foto: Honda Racing)

Pierre Gasly, oitavo: Gasly diz que lembrou “dos momentos tristes” de 2019 e dedica pontos a Hubert

Lance Stroll, nono: “Foi uma corrida difícil. Começamos bem, ganhei uma posição, estávamos confortáveis, mas a degradação dos pneus duros foi difícil de lidar. Estávamos em sétimo no final, então estou desapontado em ter terminado só em nono – mas não dava para segurar uma posição melhor. O positivo é que marcamos pontos em um dia complicado, então temos chance de melhorar e marcar mais em Monza. Acho que é um circuito em que nosso carro vai se dar bem, então vamos analisar tudo que aconteceu hoje e encontrar soluções para termos certeza que vamos bem lá.”

Sergio Pérez, décimo: “É importante que a gente reveja nossa estratégia, mas não acho que tenha tido grande influência na corrida, já que pontuamos com ambos os carros – o que foi algo positivo. A tarefa agora é entender porque não fomos capazes de manter o ritmo que tínhamos no começo do final de semana durante a classificação e a corrida. Conseguimos ganhar algumas posições na parada e voltar aos pontos, foi bom conseguir algumas ultrapassagens. Mas, no geral, não tínhamos ritmo o suficiente, então precisamos voltar mais fortes em Monza. É uma pista em que nosso carro encaixa bem, então espero marcar bons pontos.”

Daniil Kvyat, 11º: “Acredito que não escolhemos a estratégia correta hoje, então vamos ter que rever nossa corrida. Não poderíamos saber isso antes da prova, então dividimos as escolhas e infelizmente nosso lado foi o que deu errado. Teria sido muito melhor largar com o composto mais duro e eu me senti sempre no lugar errado na hora errada. Em uma pista como Spa, é muito difícil segurar os adversários com pneus velhos.”

Kimi Räikkönen, 12º: “Sinto que o resultado de hoje foi o melhor que poderia acontecer. O carro estava bom, mas P12 era o máximo que podíamos alcançar, e isso nos dá zero pontos. É desapontador porque demos tudo que temos. O começo foi ruim, caí para o fundo do grid. Tinha boa velocidade mas, de forma triste, não o suficiente para chegar ao top-10. Fiquei preso atrás de [Daniil] Kvyat. Estava mais rápido que ele no setor 2, mas não pude passá-lo. Vamos tentar progredir mais em Monza.”

Sebastian Vettel, 13º: Após 13° em Spa, Vettel diz que “não dá para fazer milagre” com versão 2020 da Ferrari

Charles Leclerc, 14º: Frustrado, Leclerc diz que Ferrari sofreu nas retas de Spa até com DRS aberto

Romain Grosjean, 15º: “Não teríamos aceitado o 15º lugar se fosse oferecido a nós mais cedo, mas conseguimos brigar com a Ferrari. Para nós, é uma marca conquistada. Achei que poderia manter Charles [Leclerc] atrás de mim, mas infelizmente na última volta travei os pneus na curva 1. De qualquer jeito, os pneus já tinham acabado. Fizemos o melhor atrás de Vettel e Leclerc, mas a Alfa Romeo fez um bom trabalho ficando na frente deles.”

F1; FÓRMULA 1; GP DA BÉLGICA; SPA-FRANCORCHAMPS; GEORGE RUSSELL; WILLIAMS;
George Russell respira aliviado depois do forte acidente no GP da Bélgica (Foto: George Russell/Twitter)

Nicholas Latifi, 16º: “Desde a volta de apresentação e do começo da corrida não me senti bem com o carro, estava bastante desequilibrado. As condições eram diferentes quando comparadas com sexta e sábado e isso tornou a prova um desafio. Aproveitei a última parte indo ao limite, perseguindo Romain [Grosjean] e as Ferrari. No geral, uma corrida dura.”

Kevin Magnussen, 17º: “Precisávamos de algo para nos ajuda hoje, o clima ou algo mais, mas não conseguimos nada. Fiz outra boa volta inicial, estou feliz com isso, mas dali em diante não tive ritmo, especialmente com os pneus médios. No começo, estava muito lento, superaquecendo os pneus. Então paramos para colocar os pneus duros e novamente sofri no início do stint, mas melhorou na sequência. Foi um dia duro, mas não havia muito mais a fazer.”

Antonio Giovinazzi, abandonou: “Um final desapontador. Estava forçando muito para me manter com distância o suficiente de [Sebastian] Vettel para usar o DRS, mas o carro escapou. Estava no limite e erros acontecem. Fico triste pela equipe, já que eles mereciam bom resultado este final de semana. E fico triste por ter estragado a corrida de [George] Russell também, mas aí não podia fazer nada. Há algumas coisas positivas que tiramos dessa corrida: larguei bem de novo, conquistei algumas posições e pude brigar com as Ferrari, então vamos trabalhar a partir disso.”

George Russell, abandonou: Após acidente em Spa, Russell diz que se sente “muito mais seguro” com halo

Carlos Sainz, não largou: “Estou desapontado por não correr aqui na Bélgica pelo segundo ano consecutivo. Largando em sétimo e do jeito que as coisas se desenrolaram na corrida, definitivamente perdemos uma chance boa de pontuar. Estou longe de estar feliz. É o segundo problema com motor este ano e a frustração de perder pontos novamente é enorme. Vamos deixar isso no passado e focar em Monza.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube