Confira declarações dos pilotos após GP da Itália, 12ª etapa da temporada 2015 do Mundial de F1

Lewis Hamilton foi o dono do fim de semana em Monza e confirmou a supremacia com uma vitória demolidora no domingo. A Ferrari, com Sebastian Vettel, e a Williams de Felipe Massa e Valtteri Bottas também foram bem, em que pese o trabalho da equipe britânica nos boxes. Mas a Force India, que voltou ao quinto lugar no Mundial, também se destacou

A 40ª vitória da carreira de Lewis Hamilton como piloto de F1 foi conquistada em grande estilo: em Monza, o grande ‘templo da velocidade’, e de forma acachapante. O britânico faturou seu segundo ‘grand-chelem’, termo designado para quem vence liderando todas as voltas após largar na pole e também garantir a volta mais rápida da corrida. Neste domingo (6), Hamilton só temeu pela vitória depois que a corrida acabou, uma vez que a Mercedes foi investigada pela FIA por ter adotado uma pressão nos pneus menor que o recomendado pela Pirelli. Mas a vitória do bicampeão, depois de quase três horas de tensão, foi mantida, e enfim Lewis agora está a apenas um triunfo de igualar seu grande ídolo, Ayrton Senna.

Hamilton foi o grande nome do fim de semana, mas outras figuras se destacaram em Monza. Além de Sebastian Vettel, que voltou ao pódio e comemorou diante dos tifosi, a Williams alcançou um sólido resultado ao colocar Felipe Massa em terceiro, com uma vantagem extremamente apertada para Valtteri Bottas, em quarto. O brasileiro faturou um pódio merecido e que quase foi perdido devido a um trabalho mais lento da Williams nos boxes, mas Felipe tirou vantagem com o abandono de Nico Rosberg quando faltavam duas voltas para o fim da corrida.

Outro bom destaque do fim de semana fica pelo bom rendimento da Force India. Sergio Pérez garantiu o sexto lugar depois de muito lutar, mas não resistir à pressão de Kimi Räikkönen, que saiu em segundo, mas caiu para último depois de cometer um erro na largada. O mexicano garantiu mais um bom resultado para o time de Silverstone e foi seguido por Nico Hülkenberg, que segurou Marcus Ericsson nas voltas finais do GP da Itália para terminar em sétimo.

Massa comemora seu segundo pódio do ano (Foto: AP)

O resultado volta a colocar a Force India como a quinta força da temporada. Agora, o time anglo-indiano soma 63 pontos no Mundial, contra 50 da Lotus, que teve uma jornada para esquecer neste domingo ao ver Pastor Maldonado e Romain Grosjean abandonarem a prova na primeira volta. A McLaren, por sua vez, teve uma performance paupérrima. Jenson Button chegou a dizer que a grande diversão era duelar com Fernando Alonso, já que era impossível lutar de igual para igual com outros carros. Assim, segue o calvário da McLaren Honda na temporada 2015. 

Confira, a seguir, as declarações dos pilotos ao término do GP da Itália de F1:

FORCE INDIA

Sergio Pérez, sexto: “Tive um momento de muita curtição hoje. Tive um forte ritmo desde o início até o fim. Consegui gerenciar bem o desgaste dos pneus e sinto que dei o máximo possível na corrida. O primeiro stint foi bem tranquilo: me encontrei sem ninguém à minha frente e consegui abrir uma vantagem sobre os carros que vinham atrás, então não sofri nenhuma pressão. Depois do meu pit-stop, sabia que Kimi estava se aproximando: ele estava muito rápido e não havia nada que eu pudesse fazer para mantê-lo atrás de mim por muito mais tempo do que eu consegui fazer. Estou muito satisfeito com nosso desempenho ao longo de todo o fim de semana, e a equipe merece muito esses pontos. Esse resultado é importante porque nos leva de volta ao quinto lugar nos Construtores, com uma boa vantagem sobre os rivais. Fizemos um bom trabalho e merecemos este resultado.”

Nico Hülkenberg, sétimo: “O sétimo lugar traz alguns pontos úteis, mas terminei a corrida me sentindo um pouco frustrado porque não tínhamos o ritmo que sabíamos que era possível ter. Na verdade, acho que tivemos um problema com o carro, e isso é algo que temos de investigar, já que perdi downforce, o carro estava escorregando e os pneus traseiros esquentaram muito, e tudo isso comprometeu meu ritmo. A segunda metade da corrida foi muito difícil me defender de Ericsson, e chegamos a pensar em mudar para uma estratégia de duas paradas, já que estava brigando muito com os pneus. No fim das contas, optamos por ser contra isso e consegui terminar em sétimo para somar alguns pontos importantes para nós.”

A Force India deixou a Red Bull para trás no GP da Itália (Foto: Force India)

RED BULL

Daniel Ricciardo, oitavo: “Foi um grande resultado para a equipe se considerar onde nós largamos e as características desta pista. Foi algo doce assumir o oitavo lugar ao passar Ericsson na última volta. Estou muito feliz com o chassi, o carro se comportou bem e consegui lutar com uma Ferrari e os carros empurrados pelo motor Mercedes em uma pista onde perdemos muito nas retas. Não foi um fim de semana fácil para nós, mas acho que a corrida foi positiva e a motivação na equipe é boa. Provavelmente vou comemorar com mais uma pizza.”

Daniil Kvyat, décimo: “Monza sempre vai ser um fim de semana difícil para nós. Nossa corrida não foi muito ruim, considerando onde largamos na pista devido às punições. Não vi muita movimentação durante a corrida, mas terminar nos pontos foi um resultado positivo, com um bom trabalho em equipe. Vamos voltar ainda mais fortes em Cingapura, onde as características da pista devem ser mais adequadas a nós.”

SAUBER

Marcus Ericsson, nono: “Fiquei bem satisfeito com minha largada e a primeira volta. Estávamos esperando para lutar contra os nossos oponentes diretos aqui em Monza. Durante a corrida, tive um bom ritmo, e por isso consegui pressionar Nico durante boa parte da corrida. Certamente, foi uma das corridas mais fortes do ano. Obviamente, é frustrante ter perdido uma posição na última curva da última volta. Forcei um pouco demais os pneus ao tentar ultrapassar Nico Hülkenberg, então não consegui me defender contra Daniel Ricciardo. Um fim amargo para uma corrida bem forte.”

TORO ROSSO

Carlos Sainz Jr., 11º: “Estou muito feliz com a corrida de hoje, especialmente com nosso ritmo. Nós fomos rápidos, e no fim da corrida estava ficando cada vez mais próximo dos carros à minha frente e, apesar de não ter conseguido alcança-los, foi bom saber que estávamos mais rápidos. É uma pena que não conseguimos somar um ponto, acho que merecíamos, mas a punição de 5s que levei no começo da corrida não foi a ideal. Há muitos aspectos positivos a levar em conta a partir de hoje: finalmente conseguimos terminar uma corrida depois de quatro abandonos em sequência, algo que eu realmente precisava, e conseguimos travar algumas boas disputas.”

Max Verstappen, 12º: “Não pude fazer muita coisa hoje, já que o drive-through que levei no começo da corrida me colocou no fim do pelotão, mas acho que podemos ficar felizes com o ritmo do carro, foi muito bom. Esperamos ter mais sorte na próxima classificação e ficar em uma posição mais acima no grid em Cingapura. Não foi uma das corridas mais fáceis, mas curti algumas boas ultrapassagens e estou feliz com isso. Estou certo de que, se não tivéssemos largado em último, teria terminado nos pontos hoje. Podemos ficar satisfeitos, e agora vou focar em Cingapura, onde tenho certeza de que vamos ser competitivos.”

Fernando Alonso se arrastou em Monza e sequer chegou ao fim da corrida(Foto: AP)

McLAREN

Jenson Button, 14º: “Eu tive uma largada boa e consegui passar alguns carros na curva 1. Toda a primeira volta foi boa, houve vários incidentes, e acho que passei em nono. Então, infelizmente só tive de esperar que os outros carros me ultrapassassem. Foi um pouco difícil por ver que os outros caras estavam me ultrapassando em lugares que eu não achava que anteriormente seria possível, então tive de olhar para meus retrovisores na entrada de cada uma das curvas. No fim da contas, perdi uma boa batalha para meu companheiro de equipe. Tinha sido uma boa luta durante pouco mais de três voltas, e havia seis pela frente quando ele abandonou. Acho que seria uma bela briga entre nós: é fácil para outros carros nos alcançarem, mas não é fácil para nós ultrapassar um ao outro, por isso seria algo bem divertido.”

Fernando Alonso, abandonou: “Tive uma boa largada hoje e, em seguida, alguns carros me tocaram na primeira curva, e isso me atrapalhou. Em seguida, na segunda chicane, cheguei perto de Jenson, mas perdi toda a vantagem que tinha obtido. Jenson e eu estávamos em duas estratégias distintas de pneu para tentar cobrir todas as possibilidades possíveis. Estava com os médios, que era 1s mais lento em relação aos macios, então tive um primeiro stint mais lento, mas então fui um pouco mais rápido no segundo. Nas voltas finais, senti uma perda de potência, e m pediram para recolher, de modo a não causar mais danos. Nós já estávamos fora dos pontos de todo jeito, por isso foi uma sábia decisão.”

MANOR MARUSSIA

Will Stevens, 15º: “Foi uma boa corrida. O carro esteve bem equilibrado, tivemos um bom ritmo e, nas primeiras voltas, pude curtir um pouco de uma corrida de verdade com os carros que vinham atrás de nós. Inevitavelmente, as coisas acalmaram um pouco depois disso, mas conseguimos dar o máximo e manter o momento. Fiquei bem à vontade neste fim de semana e senti que as coisas foram favoráveis novamente, então agora estou ansioso para as longas viagens.”

Roberto Merhi, 16º: “Foi mais um fim de semana difícil para mim, então eu tenho de ficar satisfeito com o bom resultado conquistado como um todo pela equipe. As últimas corridas foram melhores para mim, mas nem tudo caminha bem o tempo todo, então vou tirar o lado positivo disso e seguir acelerando para as etapas longe daqui, a começar por Cingapura, sobre a qual estou muito ansioso.”

LOTUS

Romain Grosjean, abandonou: “Tínhamos potencial para fazer uma boa corrida. Fiz uma boa largada, mas fui acertado por um carro que estava atrás de mim na curva 1, e isso quebrou minha suspensão traseira, e já era para nós. Foi uma manobra muito otimista por parte de Nasr, que me bateu e acabou com minha corrida. Foi um fim de semana complicado, mas todo mundo procurou aproveitar as oportunidades que tivemos, e o espírito da equipe, com o apoio do mundo da F1, tem sido incrível. O E23 ainda parece bom, então vamos para as próximas corridas otimistas de que há mais bons resultados a caminho.”

Pastor Maldonado, abandonou: “Foi um fim de semana difícil, e isso às vezes acontece quando você está no automobilismo. Mas permanecemos unidos e vamos seguir tentando, pois ainda temos sete GPs pela frente, de modo que há tempo para a gente se recuperar e seguir lutando. Tive um toque na curva 1, onde uma Force India veio por dentro de mim e me tirou, acertando a suspensão dianteira direita, e isso foi o fim da minha corrida. Estávamos em busca de um forte fim de etapa e tínhamos potencial para tal. Todo mundo sabe que a curva 1 em Monza pode ser complicada, e nós vimos isso hoje.”

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube