carregando
F1

Consultor da Red Bull vê “boas chances” de GP da Áustria acontecer sem público

A Red Bull, dona do autódromo que recebe o GP da Áustria, conversa com o governo local a respeito de uma possível corrida com portões fechados. Uma série de medidas já são consideradas, o que deixa o consultor Helmut Marko otimista

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
O plano de abrir a temporada da Fórmula 1 com um GP da Áustria sem público vai ganhando contornos de realidade. Depois de o governo austríaco acenar com a possibilidade de levar adiante o evento com portões fechados, a Red Bull, dona do autódromo local, também mostrou otimismo com a realização de uma corrida com risco mínimo de infecções.
 
“Vamos tentar reduzir o número de pessoas nas equipes e nos fornecedores tanto quanto possível”, disse Helmut Marko, consultor da Red Bull, entrevistado pela revista britânica ‘Autosport’. “Isso aumenta as chances de que talvez isso [GP sem público] se confirme. Claro, tudo isso só pode ser feito dentro das determinações de segurança [da Áustria], que ainda vão estar em vigor na época da corrida. Estamos trabalhando pesado para assegurar que isso tudo corra bem. Eu vejo boas chances”, seguiu.
Helmut Marko se anima com a possibilidade de GPs com portões fechados (Foto: Reprodução)
“A comunidade da F1 está com medo de se infectar e quer se isolar tanto quanto possível. Isso é bom, porque a população também tem medo de se infectar. Todos estão com medo, então todos serão extremamente cuidadosos”, considerou.
 
Ainda de acordo com a ‘Autosport’, as negociações entre autódromo e governo acontecem através do próprio Marko. O plano inicial é de vetar, além do público, a entrada de convidados e da imprensa no autódromo. O número de funcionários presentes por equipe também será limitado, talvez até mesmo para 45. Também se cogita o esforço de evitar contato de pessoas envolvidas com o GP com cidadãos de Spielberg, onde se localiza o Red Bull Ring.
 
Para evitar uma repetição do que se viu no GP da Austrália, quando a descoberta de um infectado dentro da McLaren levou ao cancelamento, autoridades também consideram exigir que todos presentes no paddock façam testes prévios para garantir que não carregam a Covid-19.
 
O plano atual é de que o GP da Áustria abra o calendário da F1 em 5 de julho. Na sequência, é possível que haja uma maratona em Silverstone: a categoria estuda realizar até três GPs na casa do GP da Inglaterra. Tudo isso faz parte do esforço de realizar pelo menos 15 etapas em uma temporada que talvez se arraste até janeiro de 2021.
 

Paddockast #57
MARIANA BECKER e os bastidores da F1


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.