Ricciardo explica erro de sistema que tirou chance de pontuar no Catar: “Muito confuso”

Daniel Ricciardo enfrentou um problema no sistema do carro da McLaren que indicou que o piloto tinha de economizar muito mais combustível que o normal e desde o início do GP do Catar

O resumo com os melhores momentos do GP do Catar de F1 (Vídeo: F1)

A rodada tripla México-Brasil-Catar foi desastrosa para Daniel Ricciardo. O vencedor do GP da Itália deste ano zerou em pontuação nas últimas provas do Mundial de Fórmula 1 num momento em que a McLaren vê a Ferrari abrir ampla vantagem na luta pelo terceiro lugar da disputa dos Construtores. Em Losail, no último domingo (21), o australiano enfrentou um problema pouco comum e que o fez perder muito ritmo desde o início da corrida. Um erro no sistema eletrônico do carro o induziu a economizar combustível logo nas primeiras voltas do GP do Catar. Quando a falha foi solucionada, já era tarde.

O fim de semana em si já não era dos mais fáceis depois que Ricciardo foi eliminado no Q2 da classificação de sábado e teve de largar somente em 14º. Na largada, o dono do carro #3 caiu para 16º depois de ter sido ultrapassado por Antonio Giovinazzi e George Russell. Em meio à sua recuperação ao longo da prova, Daniel foi avisado pelo seu engenheiro, Tom Sallard, da falha no sistema do carro. O problema lhe custou cerca de 2s por volta em Losail.

LEIA TAMBÉM
+OPINIÃO: Hamilton ou Verstappen? É impossível indicar favorito ao título em 2021

Daniel Ricciardo viveu outro fim de semana difícil na temporada 2021 da F1 (Foto: McLaren)

“Tivemos de poupar combustível desde o começo da corrida. Comecei a fazer o que achava que já era muito e não era o bastante. E aí Tom disse: ‘Você precisa fazer mais, precisa fazer mais, não é o bastante’. E chegou a um ponto em que acho que às vezes estávamos perdendo 2s por volta para poupar combustível. Com isso, os freios esfriaram, os pneus ficaram frios, e aí você perde aderência. É um tipo de espiral descendente”, explicou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Economizamos combustível durante uma boa parte da corrida, e isso só nos levou a uma saída. Tom, então, disse: ‘Chega de economizar combustível. Acelere ao máximo”, contou.

“Só estou mencionando o Tom porque é ele quem me dá a informação, mas é claramente um erro de sistema e é uma pena porque, quando pude acelerar, percebi o tempo de referência que consegui obter. Estávamos à mercê de um erro de leitura”, lamentou.

Sem perder o habitual bom humor, Ricciardo brincou com os jornalistas ao falar sobre a situação. “Acho que vocês poderiam ter dirigido quando estava poupando combustível por completo. Estava parando em todas as curvas e nunca era o bastante. Não sei o que aconteceu com o sistema ou se houve outra leitura, mas então o Tom disse: ‘Só acelera’. Respondi: ‘Mas espera aí, não tem de economizar combustível?’. E ele: ‘Não, só acelera’. ‘Estou muito confuso’, disse’. Claramente algo estava errado”.

“Vou falar o lado bom: estou feliz por isso não ter acontecido [em uma luta por pódio] porque isso seria a coisa mais dolorosa de todas. Mas, definitivamente, nos tirou a chance de somar pontos”, concluiu o 12º lugar no GP do Catar.

Diante dos últimos resultados, a McLaren somou apenas 4 pontos nas últimas três corridas, todos com Lando Norris, enquanto a Ferrari abriu ampla vantagem para a escuderia de Woking ao marcar 47 tentos na rodada tripla México-Brasil-Catar.

Agora, a vantagem do time italiano para a McLaren na luta pelo top-3 do Mundial de Construtores é de 39,5 pontos com duas corridas para o desfecho da temporada 2021 da Fórmula 1.

F1 NO CATAR: HAMILTON VENCE, VERSTAPPEN 2°, ALONSO NO PÓDIO | Briefing
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar