carregando
F1

De negros a jovens: Hamilton vê futuro como 'ajudante' para mudar F1

Único piloto negro no grid da F1, Lewis Hamilton acredita que a falta de representatividade não está com os dias contados na categoria, mas prometeu que vai fazer o possível para mudar isso no futuro. O britânico ainda projetou novas formas para os jovens se desenvolverem na base

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo / EVELYN GUIMARÃES, de São Paulo / VITOR FAZIO, de Berlim

Lewis Hamilton falou de bastante coisa em um evento realizado na zona sul de São Paulo nesta quarta-feira (13). O hexacampeão relembrou a histórica disputa do GP do Brasil de 2008 com Felipe Massa, falou de sustentabilidade, de aposentadoria e, claro, de representatividade. Hamilton vê um longo caminho pela frente para que a F1 seja mais inclusiva, mas prometeu que não vai medir esforços para ajudar no processo.
 
Questionado se ficava incomodado com o fato de ser o único piloto negro no grid da F1, Lewis avaliou que trata-se de um problema de muito tempo e que só parece se agravar, com custos cada vez mais elevados para pilotos que pretendem seguir o mesmo caminho que Hamilton trilhou anos atrás.
 
"Acho que sempre foi um problema. O que eu gosto é que vejo famílias de diferentes estilos de vida, de diferentes etnias, diferentes origens vindo até mim e dizendo: ‘meu filho quer ser um piloto’. Isso é ótimo, mas existe um problema. A cada ano fica mais caro [correr]. Hoje eu não seria capaz de correr na Fórmula 1. Nós, como uma família de trabalhadores, não teríamos qualquer chance de chegar na F1, com o dinheiro que tínhamos. Sinto que o esporte está indo na direção errada", disse.
Lewis Hamilton quer se envolver com F1 e FIA para ajudar negros e jovens (Foto: Beto Issa)
Para o britânico, algo precisa ser feito por ele mesmo, mas não apoiando um ou outro piloto e, sim, pensando no sistema todo, em como mudaria o que está acontecendo há anos. Lewis comparou os gastos com os do futebol, um esporte muito mais inclusivo, e falou em se envolver como dirigente para alterar o quadro.
 
"Sempre me pergunto: ‘o que eu posso fazer? Como posso ajudar?’ Ajudar um único indivíduo não parece o suficiente para mim. Eu quero me envolver com a FIA, com a F1 e tentar mudar o jeito que é para os mais jovens. No kart, eu não faço ideia de como pode ser tão caro. Não precisa ser tão caro quanto é. É um negócio para muita gente. Tem o futebol, por exemplo. As crianças conseguem ir por aí, chutando uma bola. Você infelizmente não tem como comprar um kart e ir andando por aí. Sempre vai ser um custo, mas deveria ser muito menos do que é", seguiu.
 
Em um pensamento ainda mais amplo, Hamilton prometeu trabalhar também para que a educação não seja afetada por compromissos de kart, por exemplo, especialmente falando dos casos que acabam não seguindo a carreira de piloto.
 
"95%, 98% das crianças nunca vão chegar na F1, e a educação é afetada por isso. Você precisa de tempo sem ir à escola. Do meu ponto de vista, deveriam ser só dois dias [de kart] em cada fim de semana. A FIA deveria dar algo para as crianças que não conseguem terminar o ano [de estudo]. Isso deveria ser o mais importante. É com isso que eu quero me envolver, isso pensando no longo prazo", completou.

Ainda na entrevista desta concedida com a participação do GRANDE PRÊMIO, Hamilton falou ainda sobre como o respeito do público brasileiro por ele cresceu a partir da batalha por título de 2008; apontou que irá deixar de usar plástico na vida cada vez mais sustentável; garantiu que sente ser um herdeiro de Ayrton Senna no Mundial e, assim, ficará na F1 até o amor acabar; fez mistério sobre o mercado de pilotos da F1 para 2021; e se mostrou contrário à construção do autódromo de Deodoro por questões ambientais e pediu investimento em educação.
 
Hamilton chega ao Brasil já com o título de 2019 confirmado. Sem muito em jogo, Lewis busca a terceira vitória em Interlagos. A etapa tem cobertura IN LOCO do GRANDE PRÊMIO com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL.
 

 
Paddockast # 41
MAIORES VITÓRIAS DE HAMILTON NA F1


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.