Direção de prova inicia Q2 com trator na pista e cria situação perigosa na Turquia

O carro de Nicholas Latifi ainda era resgatado por fiscais e um trator quando o começo do Q2 foi autorizado. Decisão vai na contramão do foco da direção de prova na segurança

O Q2 do treino classificatório do GP da Turquia, neste sábado (14), começou já com bandeiras amarelas. O motivo: uma decisão para lá de questionável da direção de prova. A equipe comandada por Michael Masi decidiu abrir o pit-lane ainda com trator e fiscais de pista trabalhando no resgate do carro acidentado de Nicholas Latifi.

A decisão surpreende por criar situação desnecessariamente perigosa. Mesmo que fiscais e trator tenha ficado expostos por apenas um minuto, já é suficiente para fazer todo mundo prender a respiração em um dia de chuva e asfalto com aderência mínima.

O Q2 começou mais cedo do que devia (Foto: Reprodução/TV)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

A presença de trator na pista com chuva e apenas bandeiras amarelas lembra o acidente fatal de Jules Bianchi no GP do Japão de 2014. Mesmo sem andar no limite, o francês perdeu controle e acertou o trator que resgatava o carro de Adrian Sutil.

O incidente levou a uma reformulação no modus operandi da direção de prova. O safety-car virtual foi criado para situações que exigem intervenção de fiscais, mesmo que brevemente. Tratores e fiscais não são mais autorizados a entrar nas áreas de escape apenas sob bandeiras amarelas.

Mais por sorte do que por juízo, nenhum incidente ocorreu. O carro de Latifi foi resgatado normalmente, com o Q2 começando para valer na sequência.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube