Diretor-técnico da Toro Rosso mostra confiança e avalia que “está no sangue” da Renault dar a volta por cima

Diretor-técnico da Toro Rosso, James Key se mostrou confiante na capacidade de reação da Renault e afirmou que a fábrica está bem preparada para voltar mais forte em 2016. Dirigente, entretanto, disse entender a frustração da Red Bull

Diretor-técnico da Toro Rosso, James Key acredita na capacidade da Renault de melhorar a performance de motor V6 turbo. Na visão do dirigente, a fábrica francesa pode ter um ganho similar ao da Ferrari.
 
Depois de um ano difícil em 2014, a Renault não conseguiu acertar a mão no motor deste ano e foi alvo de inúmeras críticas — especialmente de Christian Horner, chefe da Red Bull — por conta de seus muitos problemas de confiabilidade.
James Key se mostrou confiante na capacidade de reação da Renault (Foto: Getty Images)
Em um momento em que a Renault traça planos para além da temporada 2017, Key decidiu colocar panos quentes e afirmou que “está no sangue deles” dar a volta por cima.
 
“Eles são pessoas muito honestas para se trabalhar, todos eles reconhecem que há trabalho para ser feito, mas eles estão trabalhando muito duro para tentar resolver isso, e acho que eles podem”, disse Key em entrevista à publicação britânica ‘Autosport’. “Tem coisas a serem feitas, uma certa diferença, mas a Ferrari deu um grande passo, e eu tenho certeza de que a Renault também é capaz disso”, avaliou.
 
“Não devemos esquecer que eles têm estado por perto e tiveram um sucesso enorme, como companhia e também como fornecedores de motores da F1, e está no sangue deles dar a volta por cima”, seguiu. “Com o progresso que eles estão projetando para o próximo ano, há uma atmosfera muito mais confiante do que neste momento do ano passado”, ponderou.
 
De acordo com Key, ano passado foi um choque ver o desempenho do motor, mas, apesar dos problemas de confiabilidade de 2015, a Renault contratou novos funcionários e tem muito mais vontade de reagir e entregar um produto melhor.
 
“Na temporada passada ainda tinha um choque de como as coisas tinham se desdobrado, e era o caso de: ‘Uau! OK, temos algum trabalho para fazer nisso’”, lembrou. “E no início desta temporada eles tiveram alguns problemas de confiabilidade que também atrapalharam”, listou.
 
“Mas, indo para o próximo ano, foi um perfeito passo para trás de muitos caras lá, algumas pessoas novas e a sensação de que ‘temos de acertar desta vez, então não vamos nos distrair demais e avançar’”, falou James.
 
Por fim, o dirigente da Toro Rosso comentou que consegue entender a frustração da Red Bull nesse período de 18 meses, afinal, o time vem de uma sequência de quatro títulos.
 
“Eu não culpo a Red Bull por ficar frustrada com a situação, porque esses caras estão acostumados a vencer campeonatos, e eles estão equipados e financiados para fazer isso”, ressaltou. “Tem dois times que fazem seus próprios motores e eles estão em primeiro e segundo no campeonato”, citou.
 
“Posso entender a frustração, mas os dois lados têm trabalhado juntos para resolver isso”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube