Dupla da Force India mostra fé no ritmo do VJM06 e mira compensar problemas da Malásia na China

Paul di Resta e Adrian Sutil se mostraram confiantes no trabalho feito pela Force India com o carro de 2013 e esperam manter um bom desempenho no resto da temporada. Às vésperas do GP da China, dupla quer deixar para trás os problemas da Malásia e pontuar em Xangai

A Force India começou o ano de uma forma surpreendente. Exibindo o bom ritmo do VJM06, Adrian Sutil mostrou uma ótima performance em Melbourne, mas, assim como Paul di Resta, abandonou o GP da Malásia por conta de problemas com a pistola de fixação da porca da roda, que falhou. 
 
Apesar os problemas em Sepang, a dupla segue confiante no potencial do VJM06 e espera colocar os problemas do GP da Malásia para trás com uma boa performance nas etapas de Xangai e do Bahrein.
Sutil se mostrou confiante no bom desempenho da Force India em Xangai (Foto: Force India)
“Estou realmente ansioso para as duas corridas da China e do Bahrein. Nós tivemos azar em não pontuar na Malásia, mas podemos tirar algumas coisas positivas da performance que mostramos na pista”, apontou di Resta. “Parecíamos ser um dos carros mais rápidos durante a primeira parte da corrida. É um bom sinal para o resto da temporada”, avaliou. 
 
Sutil concorda e ressalta que o time precisa trabalhar para repetir esse bom desempenho nas demais etapas. “É uma pena que tivemos o problema, porque o carro parecia muito forte, mas às vezes essas coisas acontecem. Agora precisamos focar na performance para tentar repeti-la na China.”
 
Na visão do germânico, o traçado de Xangai tem características semelhantes com o circuito de Sepang e, por isso, espera que a Force India tenha um bom ritmo. 
 
“O layout não é muito diferente de Sepang, então isso deve se adaptar a nós outra vez e eu espero que possamos ser rápidos lá”, comentou Sutil. “Além disso, sabemos que têm muitas áreas onde podemos melhorar, pois aprendemos muito com as duas primeiras corridas. Os outros times não vão ficar parados, então temos de nos esforçar para manter esse momento”, reforçou.
 
“Vamos ter uma nova combinação de pneus na China – macios e médios – e parecemos ser bons em gerenciar nossos pneus, então precisamos usar isso a nosso favor”, defendeu o piloto.
 
Por fim, di Resta lembrou a capacidade de reação da McLaren e afirmou que será difícil ficar à frente do time de Woking no Mundial. “É importante não se deixar levar e continuar fazendo nosso trabalho a cada corrida. Nós parecemos estar em uma boa posição no momento, mas ninguém pode dizer onde vamos estar em relação aos rivais nas próximas duas corridas”, avaliou. 
 
“Nós sabemos que a McLaren é uma equipe muito forte e eles vão se desenvolver bem, então tudo que podemos fazer é continuar nos esforçando para ficar na frente deles”, declarou. “Temos feito um bom trabalho até aqui – melhor do que muita gente esperava –, mas temos um longo caminho pela frente”, concluiu. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube