Ecclestone admite regras “estúpidas e desnecessárias” na F1 e desiste da ideia de relargada parada para 2015

Bernie Ecclestone admitiu que a F1 criou regras “estúpidas e desnecessárias” ao longo dos anos e afirmou que o Mundial não terá relargadas paradas na temporada 2015

O GP da Hungria de F1 serviu para muito mais do que apenas mostrar a qualidade de pilotos como Daniel Ricciardo, Fernando Alonso e Lewis Hamilton. Empolgados com a boa prova de Hungaroring, os dirigentes traçaram novas diretrizes para o Mundial, o que resultou na queda da regra que determinava relargada parada após períodos de safety-car.
 
De acordo com Bernie Ecclestone, a prioridade é fazer um “acerto fino”, ao invés de uma grande mudança, já que a “corrida incrível” da Hungria mostrou que a F1 não está destruída.
Bernie Ecclestone reconheceu que a F1 criou regras denecessárias ao longo do ano (Foto: Getty Images)
“Simplesmente não deveria ter as regras estúpidas e desnecessárias que criamos ao longo dos anos”, reconheceu o britânico de 83 anos em entrevista à publicação germânica 'Auto Motor und Sport'. “Quero um campeonato de pilotos, não de engenheiros”, disparou.
 
“Já disse aos comissários que eles não devem punir cada coisinha”, reforçou. “Quero que os pilotos corram um com os outros, ao invés de constantemente perguntarem o que podem e não podem fazer”, falou.
 
Por fim, Ecclestone também afirmou que o Mundial vai desistir da regra de relargada parada para 2015. 
 
“Não teremos relargadas paradas depois do safety-car”, garantiu Bernie. “O que vimos em Budapeste foi bom o bastante”, concluiu.

Quer ter o prazer de guiar uma Ferrari e assistir ao GP da Itália em Monza?
Clique e saiba dos detalhes do pacote GRANDE PRÊMIO pelo e-mail

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube