Ecclestone critica esforço de países europeus para receber Jogos Olímpicos: “Não querem investir na F1”

A França é uma das candidatas a receber os Jogos Olímpicos de 2024, em Paris. No entanto, o país não sedia uma etapa do Mundial de F1 desde 2008. Bernie Ecclestone criticou o alto investimento das nações europeias para realizar a Olimpíada e disse que a F1 proporciona muito mais lucro

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Recentemente, o Rio de Janeiro recebeu os 31º Jogos Olímpicos da Era Moderna. Segundo o site ‘Jogos Limpos’, o valor investido para a realização da Olimpíada e também dos Jogos Paralímpicos compreende o montante de R$ 38,2 bilhões. Tóquio vai receber a próxima edição dos Jogos, em 2020, enquanto quatro cidades são candidatas à realização da 33ª edição, em 2024: Los Angeles, Budapeste, Roma e Paris.
 
Mas na visão de Bernie Ecclestone, o alto investimento nos Jogos Olímpicos não compensa em razão do retorno financeiro aos países que recebem o evento. O chefão da F1 fez propaganda do esporte que comanda e criticou países europeus, sobretudo Itália, França e Inglaterra, pelo valor investido nos Jogos.

A última vez que a França recebeu uma prova do Mundial de F1 foi em 2008, no circuito de Magny-Cours. A Itália continua no calendário depois de uma novela que envolveu a negociação para um novo acordo da FOM (Formula One Management) com Monza. A renovação foi acertada até 2019. Silverstone também segue no Mundial, mas Silverstone vem enfrentando dificuldades para pagar a conta.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Patrão da F1, Ecclestone criticou o investimento de países como França e Itália para receber os Jogos Olímpicos (Foto: Getty Images)
“Não é tão fácil, é decepcionante pensar que todos esses países gastam muito dinheiro para tentar receber os Jogos Olímpicos, algo que não é tão fácil, ninguém tira dinheiro disso”, criticou Ecclestone durante entrevista a Eddie Jordan, ex-dono de equipe na F1, no site do programa ‘Top Gear’.
 
“No entanto, o pouco que custa uma corrida de F1, e não querem investir. Acontece o mesmo com a Inglaterra. Silverstone não está muito seguro, diria que é exatamente o contrário. Seria interessante saber a quantidade de dinheiro que a Inglaterra recebeu dos Jogos Olímpicos”, afirmou.
 
Londres investiu quase R$ 30 bilhões para levar os Jogos Olímpicos à Inglaterra em 2012. Contudo, estudo do Ministério de Comércio do Reino Unido aponta que os investimentos recebidos no país na esteira do evento já superaram, em muito, o valor gasto para realizar a competição.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Ecclestone também ressaltou seu lado visionário quando lembrou que foi duramente criticado por levar a F1 a países sem tradição ou cultura de automobilismo, como a China, Bahrein, Abu Dhabi e Baku.

 
“Não se esqueça que comecei a olhar para a China há muito tempo, antes de qualquer uma dessas corridas acontecerem. Estou muito contente com essas corridas, encantado com Baku. As pessoas diziam que eu estava completamente louco. Fiquei muito feliz quando tudo correu tão bem”, concluiu.
 
PADDOCK GP #45 COMENTA FIM DE SEMANA COM F1, INDY, MOTOGP E WEC

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube