Ecclestone lamenta melhora tardia de Rosberg e avalia: “Poderia ter feito um trabalho melhor nesse ano”

Segundo Bernie Ecclestone, a boa performance de Nico Rosberg no GP do México veio tarde demais para reparar o prejuízo das performances medianas de 2015. O dirigente avalia que o alemão poderia ter feito um trabalho melhor e, assim como em 2014, desafiar Lewis Hamilton

Nico Rosberg definitivamente ficou devendo na temporada atual da F1. Depois de bater de frente com Lewis Hamilton em 2014 e perder o título no fim do campeonato, o alemão parece ter perdido o fio da meada em 2015. Bernie Ecclestone, ao avaliar o ano do alemão, foi direto: o #6 ficou devendo corridas melhores.
 
“Eu não me importo se o título é decidido precocemente por causa do domínio das Mercedes. Eu só acho que Rosberg poderia ter feito um trabalho melhor neste ano”, analisou Bernie.
Chefão da F1, Bernie Ecclestone fez críticas ao 2015 de Nico Rosberg (Foto: AP)
O chefão da F1 viu o GP do México, vencido por Rosberg, como uma prova de seu potencial – mas lamentou que Nico só tenha acordado nos últimos meses de 2015.
 
“Nós vimos no México, ele venceu a corrida facilmente. Ele vai tentar fazer isso novamente no Brasil, mas infelizmente isso tudo está acontecendo um pouco tarde”, continuou.
 
Bernie não vê problemas em um campeonato dominado pelas Mercedes, mas pensa que dois pilotos disputando o título de igual para igual seria melhor para a categoria. Ao comparar com outras épocas de domínio da F1, o dirigente verificou a falta de um embate mais direto.
 
“Na década de 1980, McLaren era talvez até mais dominante. Mas naquela época nós tínhamos dois pilotos que batalhavam um contra o outro”, finalizou Ecclestone, lembrando das disputas entre Alain Prost e Ayrton Senna.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube