Ecclestone se disponibiliza para mediar conflito entre Liberty Media e promotores: “Farei o que me pedirem”

Mesmo não sendo mais o chefão da F1 depois que o Liberty Media assumiu a gestão do esporte, Bernie Ecclestone segue tendo sua influência. Com larga experiência em mediar conflitos, o britânico se colocou à disposição do Liberty Media para ajudar a buscar soluções que acalmem a Associação dos Promotores da F1 (Fota)

 
Outros pontos, como a migração cada vez maior da TV aberta para os canais por assinatura e o esforço da empresa em agregar novas corridas ao calendário, também é motivo de queixa. Bernie Ecclestone, ex-chefão da categoria e nomeado pelo Liberty Media como presidente honorário da F1, se colocou à disposição para mediar o conflito entre as duas partes.
 
Mesmo não sendo mais o chefe supremo do esporte depois que a F1 foi comprada pelo Liberty Media, Ecclestone segue sendo um habitué dos paddocks e continua a ter sua relevância política nos bastidores. O britânico, hoje com 88 anos, garantiu que vai ajudar. Desde que seja chamado pelo Liberty, da qual é funcionário.
Bernie Ecclestone se colocou de prontidão para ajudar a resolver o conflito entre o Liberty Media e promotores (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

“Se as pessoas dizem que eu deveria me envolver, isso é com eles. Sou funcionário da empresa e vou fazer o que me pedirem. Se querem que ajude, adoraria fazê-lo. Não quero estar no leito de morte e ver o esporte que criei indo ladeira abaixo”, declarou Bernie em entrevista veiculada pelo jornal britânico ‘Daily Mail’.

 
Ouvido pela emissora britânica BBC, Stuart Pringle, diretor-geral do GP da Inglaterra e presidente da Associação dos Promotores da F1, alertou para o fato de que considera 2019 um ano chave para muitos dos GPs do calendário, já que os contratos com os GPs da Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha e México terminam neste ano. 
 
O dirigente britânico ressalta que todos querem seguir recebendo a F1, mas não diante das condições atuais.
 
“A mensagem foi recebida. Estamos tão frustrados que sentimos que não tínhamos outra opção a não ser atuar desta forma. Mas, na verdade, tivemos um dia muito positivo. Acreditamos que nossas preocupações serão revistas e nós, como grupo de promotores, reconhecemos que lutamos pela mesma coisa, um esporte saudável”, comentou.
 
“Queremos trabalhar de forma significativa para alcançar isso, de modo que vamos colaborar com eles para seguir em frente”, acrescentou Pringle, que encerrou com mais uma cutucada no Liberty Media ao dizer que a estratégia da empresa é “desarticulada”, o que leva preocupação sobre os rumos da F1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube