Ecclestone vê Red Bull em “situação complexa” e revela que definição sobre uso do terceiro carro sai em novembro

Bernie Ecclestone afirmou que a introdução de um terceiro carro em alguns times do grid deve ser definida no próximo mês. Dirigente máximo da F1 avaliou que a Red Bull vive uma situação complexa em sua busca por um novo fornecedor de motores

Bernie Ecclestone não parece muito preocupado com a possível redução no número de times na F1 no próximo ano. A Red Bull ameaça deixar o Mundial se não conseguir um motor competitivo para a temporada 2016.
 
Com a saída da Caterham, a F1 tem hoje 20 carros, mas o número que pode cair para 18 se Red Bull e Toro Rosso efetivamente deixarem o esporte — a Haas vai entrar no Mundial no próximo ano.
Bernie Ecclestone espera definição sobre introdução de um terceiro carro no próximo mês (Foto: AP)
Com a possível diminuição no número de times, a introdução de um terceiro carro aparece como solução para evitar um grid esvaziado. Em entrevista ao jornal holandês ‘De Telegraaf’, Ecclestone contou que uma definição sobre a introdução de um novo bólido em alguns dos times deve sair até o mês que vem.
 
“Alguns times querem ter três carros e muitas pessoas iriam preferir ver uma terceira Ferrari ao invés de um carro que não é competitivo”, disse Bernie. “No próximo mês, veremos se vamos nessa direção”, continuou.
 
Além disso, Ecclestone também falou sobre a situação da Red Bull na busca por um novo fornecedor de motores, que definiu como “complexa”. 
 
“É uma situação complexa, com muitos interesses conflitantes”, avaliou. “Por que os rivais os ajudariam e arriscariam serem vencidos com suas próprias armas?”, questionou Ecclestone.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube