Em “dia exigente”, Sainz cobra melhora do carro: “Não estou muito feliz”

Acostumado a ser o mais rápido dentre os carros da chamada ‘F1 B’, Carlos Sainz viveu um dia complicado em Interlagos. O espanhol entende que não chegou ao acerto ideal com a McLaren nesta sexta-feira e cobriu uma melhora significativa em vários aspectos. Mas apontou um fator positivo: a performance na chuva

É possível tranquilamente dividir a sexta-feira (15) de treinos livres do GP do Brasil em antes e depois da chuva. E para Carlos Sainz, a molhada manhã em Interlagos foi muito mais positiva do que a sequência dos trabalhos do dia. O espanhol, que busca o título simbólico de ‘melhor do resto’ ou ‘campeão da F1 B’, entende que não encontrou ainda o melhor acerto para sua McLaren no fim de semana. Carlos cravou o décimo melhor tempo do dia, ficando a 1s093 da marca estabelecida por Sebastian Vettel, dono da volta mais rápida de sexta-feira.

 
Em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO nesta nublada tarde em Interlagos, Sainz descreveu a sexta-feira como “um dia exigente”. Carlos marcou sua melhor volta em 1min10s310, terminando atrás da Haas de Kevin Magnussen, da Renault de Daniel Ricciardo e da Alfa Romeo de Kimi Räikkönen, além da Red Bull de Alexander Albon.
Carlos Sainz só ficou feliz mesmo com a performance no molhado nesta sexta-feira (Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Ao longo da sessão, Sainz completou 38 voltas, sendo um dos que mais rodou durante a tarde. 
 
Pela manhã, no entanto, o ritmo da McLaren #55 foi muito melhor. Com pista molhada em São Paulo, Sainz fechou na quinta colocação, ainda que distante 1s644 do mais rápido do período, Albon — que aproveitou a pista mais seca no fim para abrir uma larga vantagem perante os demais concorrentes.
 
A falta de performance como um todo da McLaren nesta tarde fez Sainz cobrar uma melhora significativa do carro para a sequência do fim de semana. 
 
“Fizemos muitos testes de acerto. Não estou muito feliz com a performance do carro. É preciso melhorar logo de cara para amanhã, e também o ritmo de corrida”, disse o espanhol. E se há algo de bom a destacar durante o dia, Carlos optou por citar justamente o desempenho da McLaren na chuva. “O ponto positivo é que o carro esteve bem no molhado pela manhã”.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre in loco o GP do Brasil com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL.
Paddockast # 42
QUEM É VOCÊ NO GP DO BRASIL?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube