Em Interlagos difícil “de andar no limite”, Norris “não conseguiu” acertar volta

O primeiro dia de atividades no Brasil não foi dos melhores para Lando Norris, que falou que Interlagos não é a típica pista em que chegar confiante que será a quarta força. Segundo ele, porém, ainda há a fé de que o sábado será de boa classificação, especialmente caso ele próprio não cometa erros

Lando Norris teve um começo complicado para o fim de semana do GP do Brasil. Nesta sexta-feira (15), o novato inglês terminou o segundo treino livre apenas na 18ª colocação e saiu puxando a culpa para si. Segundo ele, o carro até tem suas partes positivas, mas foi Norris mesmo quem não foi faz de acertar todos os elementos ao longo de uma volta.
 
Logo após o treino, em entrevista que contou com a presença do GRANDE PRÊMIO, Norris lamentou uma escapada que deu logo na primeira volta rápida que tentou e admitiu que não conseguiu entender bem as necessidades de uma pista de Interlagos em que corre pela primeira vez. 
 
"A pista não estava das mais confiáveis, especialmente para frear, mas está tudo bem. É para essas coisas que a sexta-feira servem. Os treinos livres servem para melhorar o carro e depois temos que juntar as partes boas e fazer algumas melhoras", disse. 
 
"Eu travei os pneus uma vez, mas no geral estive sempre no limite. Cometi alguns erros aqui e ali, mas estou onde deveria. Se eu conseguir juntar as coisas boas numa mesmo volta, vai ficar tudo bem. Só não consegui fazer isso hoje. Amanhã, que é quando conta, deve ficar tudo bem", seguiu.
Lando Norris (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Questionado sobre o erro que apontou, explicou. "Foi na primeira volta. Meio que passei reto e perdi um pouco de confiança, mas continuei lá até o fim, quando o pneu parou de render – por isso eu fiquei tão atrás assim. Mas acredito que é só uma questão de juntar todos os bons elementos numa volta e não cometer erros que vai dar tudo certo." 
 
Ainda falou um pouco mais sobre Interlagos.
 
"Tem muitas curvas longas aqui e que são complicadas, por isso muitos erros são cometidos. Travei uma vez na curva um, mas nas curvas longas é fácil também o carro escorregar e bater. Não é a pista mais fácil para andar sempre no limite, mas foi um dia produtivo: aprendi um pouco, a pista passou de molhada para seca… Temos coisas boas para amanhã. Realmente, em termos de resultado, não foi ótimo, mas o ritmo está lá se eu acertar uma volta. Temos trabalho a fazer para sermos o quarto melhor time e também tenho que melhorar", argumentou.
 
"Não sabemos o que esperar. Claro que queremos ser o quarto time e temos andado nessa direção, mas, ao mesmo tempo, vimos nos últimos anos o quão próximas as equipes podem ficar aqui, por causa do quanto essa pista é pequena. Achamos que era possível [ser a quarta força], só não sabíamos se ia acontecer. Até acho que seremos, mas 0s1 ou 0s2 vão fazer toda a diferença. Estou confiante de que vamos fazer o trabalho amanhã, mas para confiar que seremos a quarta força, como em outros lugares, ainda temos que trabalhar", disse.
 
"Algumas vezes nessa temporada nós conseguimos confortavelmente ser a quarta força – e é até possível cometer um erro, algo assim, e manter o posto. Em outras, está tudo mais perto e, para ser a quarta força, um erros pode fazer toda a diferença. É o caso aqui. Tenho que definir um setup que me deixe confortável, algumas melhoras e preciso ter um dia limpo", encerrou.

GRANDE PRÊMIO cobre in loco o GP do Brasil com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube