carregando
F1

Empresário destaca “paixão” de Räikkönen pela F1 e garante “motivação total” em volta para Sauber

Steve Robertson garantiu que Kimi Räikkönen está completamente motivado para retornar à Sauber e que a paixão pela F1 impediu a aposentadoria após o fim do vínculo com a Ferrari

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Kimi Räikkönen vai para um novo desafio na temporada 2019. Prestes a completar 39 anos, o finlandês assinou por dois anos com a Sauber e vai retornar para o time que o projetou na F1. De acordo com o empresário de Kimi, Steve Robertson, o veterano está totalmente motivado para seguir fazendo aquilo que ama e não tem problema em competir sem poder ganhar.
 
O empresário explicou que Räikkönen não tinha a menor intenção de parar e que o acordo com a Sauber foi costurado quando a Ferrari sinalizou que fecharia com Charles Leclerc.
 
"Kimi quer guiar carros da F1. Ele ama isso. As pessoas ficaram surpresas porque estavam esperando a aposentadoria depois de anos de Ferrari, pegar o iate dele e ir descansar. Só que a paixão pela F1 falou mais alto. Ele adora estar na disputa e a F1 é o topo. Quando soubemos que não teria renovação na Ferrari, fomos atrás de algum acordo", disse.
Kimi Räikkönen está bastante motivado (Foto: Ferrari)
Robertson acredita que o time suíço tem se transformado. Após o fim da crise financeira, a Sauber pode continuar a crescer e um campeão do mundo só tende a acrescentar.
 
"É preciso analisarmos a situação da Sauber. Há um investimento lá agora. Dois anos atrás, nem condições para ter o Kimi eles tinham, fora que era um navio naufragando. Agora eles têm o Kimi, um cara do primeiro escalão, campeão do mundo. Mostra bem onde eles querem ir. O foco dele é que o time siga avançando no ano que vem", seguiu.
 
O empresário ainda comentou sobre a mudança brusca do potencial melhor carro para um de fim de grid. Steve garantiu que Räikkönen vai virar a chavinha rapidamente.
 
"Não acho que ele vai sentir o fato de não brigar por vitória. Ele vai se motivar trabalhando com o time para melhorarem juntos. Ele sabe bem onde está indo. Não precisava fazer isso, mas faz porque se sente capaz de ajudar o time. Ele sabe bem que a realidade muda e eu duvido que não topasse se alguém o oferecesse sétimo lugar em todas as corridas em 2019. Ele é bem realista. Kimi sabe bem que só vai vencer se alguma corrida absolutamente maluca acontecer. Só que ele pode oferecer muito em termos de desenvolvimento para a equipe. Ele sabe que é um papel diferente do que tinha na Ferrari", completou.