Ocon tira peso das costas com pódio e ganha confiança para confronto com Alonso em 2021

O ano de Esteban Ocon não era dos grandes, mas o pódio arranca um dos primeiros curativos de sua trajetória e impulsiona a motivação para encarar Fernando Alonso em 2021

Esteban Ocon tem uma curiosa trajetória em quase cinco anos de carreira da Fórmula 1. E alcançou seu primeiro grande momento na categoria no último domingo, quando acertou em cheio na estratégia e manteve um excelente ritmo para fechar o maluco GP de Sakhir no segundo lugar, atrás apenas de Sergio Pérez, subindo ao pódio pela primeira vez.

O pódio para um talento como Ocon poderia significar apenas ser o primeiro de muitos, mas pode servir também como um impulso para o piloto francês, que viveu um ano de grandes dificuldades com a Renault, tanto pelo fato de passar 2019 longe das pistas quanto por dividir garagem com o feroz Daniel Ricciardo, um dos melhores pilotos do grid e que faz temporada excelente.

É justo dizer que Ocon também sofreu com a confiabilidade da Renault durante a temporada. O desempenho mediano nas classificações também não ajudou o francês a entregar um maior desafio para Daniel Ricciardo e tirou a esquadra francesa da briga pelo posto de terceira força do grid em 2020.

Ocon demorou 65 corridas para ficar no top-3 pela primeira vez (Foto: Renault)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Sempre acreditamos em nós mesmos, isso é o mais importante. Quando você não está entregando seu melhor neste esporte é algo difícil, pois as críticas chegam, mas as pessoas próximas de você, as realmente importantes, sempre te apoiam, e isso me ajudou muito. E a equipe me ajudou a continuar acreditando em mim e a continuar forçando, e hoje (Domingo) deu certo, muito feliz com isso”, disse o francês após o pódio.

Em 2021, Ocon tem uma das grandes chances da vida de se consolidar. Ricciardo troca a Renault pela McLaren, abrindo espaço para a chegada de Fernando Alonso, bicampeão mundial e afastado desde 2018 da Fórmula 1. É uma oportunidade de ouro ao piloto francês, que carrega mais ritmo de corrida que o lendário espanhol.

Uma comparação direta com Ricciardo após um ano praticamente sabático prejudicou a trajetória de Ocon, que praticamente foi culpado por não ser sensacional como o australiano. Agora, a tarefa é definitivamente mais acessível para Esteban, que pode se apoiar em Alonso para definitivamente virar um piloto de ponta na Fórmula 1.

Ocon é talentoso e a pausa na carreira o fez dar alguns passos para trás. O pódio carrega o potencial de símbolo de uma nova fase de amadurecimento na Fórmula 1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube