F1

Ex-presidente vê “erros decisivos” e isenta Vettel por derrota. Mas diz: “Hamilton venceria com a Ferrari”

Ex-presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo avaliou que a Ferrari teria sido campeã em 2018 se tivesse Lewis Hamilton como piloto. Ex-dirigente admitiu que Sebastian Vettel cometeu “erros decisivos”, mas evitou culpar o #5 pela derrota do time de Maranello
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Ex-presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo acredita que a escuderia italiana teria conquistado o título de 2018 da F1 se tivesse Lewis Hamilton como piloto. O ex-dirigente avaliou que o #44 fez sua melhor temporada desde a estreia no Mundial.
 
Na visão de Montezemolo, Hamilton fez a diferença na conquista dupla da Mercedes, que também foi campeã do Mundial de Construtores, e teria conseguido o título também a bordo do bólido vermelho. Luca, no entanto, evitou criticas mais severas a Sebastian Vettel. 
 
“Hamilton fez a diferença neste ano em sua melhor temporada desde a estreia”, disse Montezemolo em entrevista à rádio italiana Rai. “Ele teve momentos de fraqueza e crises, mas ele teria vencido com a Ferrari neste ano”, apostou.
Luca di Montezemolo acredita que Lewis Hamilton teria conquistado título de 2018 com Ferrari (Foto: Getty Images)
“Não digo isso para menosprezar Vettel, que tem toda chance para se reconstruir com um carro competitivo”, opinou.
 
O ex-presidente, aliás, acredita que a derrota em 2018 não foi por culpa do piloto germânico.
 
“Esta Ferrari é muito diferente da Ferrari que deixei em outubro de 2014, em termos de integrantes e mentalidade”, observou. “A Ferrari fez um bom carro neste ano, que, em algumas situações, foi até melhor que a Mercedes. Mas a parte final estava faltando”, seguiu.
 
“Vettel cometeu alguns erros decisivos, mas, para o campeonato, você tem de fazer tudo para mantê-lo. Ele é um piloto de primeira linha e sempre próximo do time”, comentou. “Ele deve ser apoiado na frustração, ainda mais com a chegada de um garoto muito forte [Charles Leclerc] com muito futuro”, defendeu.
 
“[Michael] Schumacher também cometeu erros nos primeiros dias, mas é sempre importante falar claramente no vestiário e apoiar o time em público”, assegurou.