F1

Fã de Rossi, Norris escolhe número novo para F1 e desiste do #46: “Não queria ser apenas um imitador”

Fã de Valentino Rossi, Lando Norris explicou que preferiu não usar o #46 na F1 para não “ser apenas um imitador”. O britânico, no entanto, contou que não tem uma história especial em sua escolha pelo #4

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

Fã de Valentino Rossi, Lando Norris contou que optou por não utilizar o #46 na F1 para não “ser apenas um imitador”. O piloto da McLaren, no entanto, contou que existe uma história especial em sua opção pelo #4.
 
Norris, que usou o #47 em suas aparições como terceiro piloto da McLaren ao longo de 2018, contou que nunca teve um número fixo na carreira e tampouco tinha algum com que se identificasse mais.
 
Por sua admiração pelo multicampeão da MotoGP, Lando considerou o uso do #46, mas acabou optando pelo #4, também por questões de marca e hashtag, já que pode ser seu nome estilizado com #L4ndo.
Lando Norris escolheu usar o #4 na F1 (Foto: F1/Twitter)
“Tem uma história por trás do #4, mas a história é que não tem história”, disse Norris. “A hashtag é ótima. Mas não tem um número que eu usei consecutivamente em todas as séries”, seguiu.
 
“Eu usei #31, #11 e no kart eu tinha o #33 e o #46, mas nenhum deles significava muita coisa para mim. Então eu segui com o que parecia melhor. Esta é a melhor razão!”, explicou. “Eu ficaria com o #46, mas eu não queria ser apenas um imitador, então eu escolhi algo por mim. Algo novo que se encaixa perfeitamente com meu logo”, justificou.
 
Alexander Albon, que usou ao #46 ao longo da carreira no kart, também vai entrar na F1 em 2019. E Norris admite que sua admiração por Rossi o fez acompanhar a carreira do agora piloto da Toro Rosso.
 
“Eu admirava muito o Alex quando eu era mais novo, e eu gostava de Alex porque ele gostava do Rossi e usava o #46, tinha as mesmas cores e tudo mais”, contou Norris. “Assim, eu torcia para Alex quando era realmente novo. Ele, provavelmente, era meu único herói além de Valentino Rossi, o que é um pouco estranho de se pensar”, comentou.
 
“Mas ele sempre foi um cara legal e eu me acostumei a vê-lo correr em todas as corridas desde cadetes até onde ele está agora. É legal que Alex também esteja no grid”, completou.