Fabricante britânica ganha homologação da FIA para fornecer fluxômetros, peça da discórdia no início de 2014

Quase um ano e quatro meses depois da polêmica que terminou na desclassificação de Daniel Ricciardo do GP da Austrália de 2014, as equipes do Mundial de F1 agora terão uma nova fabricante de fluxômetros como alternativa

A FIA homologou, antes do GP da Inglaterra, uma nova marca de fluxômetros para as equipes de Mundial de F1 adotarem. Além da Gill, usada desde o princípio da era dos V6 turbo, agora os times também poderão comprar peças da britânica Sentronics.
 
Os fluxômetros tornaram-se conhecidos do público em geral da F1 na polêmica classificação de Daniel Ricciardo no GP da Austrália de 2014. Estreando pela Red Bull, o piloto perdeu o primeiro pódio da carreira após os comissários constatarem que seu carro “excedeu constantemente” o fluxo de combustível de 100 kg/h.
Fluxômetro (Foto: Divulgação)
Na época, a equipe e a Renault reclamaram bastante da inconsistência dos medidores e dos problemas por eles apresentados. Também alegaram que a peça dava defeito com facilidade.
 
Desde então, todas as equipes foram se ajustando, e nenhuma punição do tipo voltou a ser aplicada.
 
Nenhuma equipe usou o novo sensor no GP da Inglaterra do último fim de semana, mas, de acordo com a revista alemã ‘Motorsport-Magazin’, ele deve fazer estreia já na próxima corrida, na Hungria.
 
O novo dispositivo também deve ser mais barato do que o da concorrência, custando cerca de R$ 30 mil reais (R$ 10 mil a menos). “O problema é a perda. Você tinha que comprar dez peças para que uma servisse”, falou à publicação Helmut Marko, consultor da Red Bull.
 
O fluxômetro da Sentronics está sendo testado em carros de F1 e do Mundial de Endurance há seis meses, e, segundo a fabricante, tem vida útil de 300 horas.
 
A única controvérsia envolvendo o assunto se deu no começo deste ano, dizendo respeito a uma artimanha das equipes para acumular combustível após a passagem pelo fluxômetro. A FIA, depois disso, resolveu mudar a posição em que a peça é instalada nas unidades de força dos carros.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube