Favoritas, Mercedes e Ferrari andam mais que todas na pré-temporada da F1. Toro Rosso deixa beleza na garagem

A Mercedes foi campeã de quilometragem na primeira semana da pré-temporada, completando 558 voltas em Barcelona. Quem vive situação oposta é a Toro Rosso, que sofre com o motor Renault e estaciona nos 183 giros

 
Tão importante quanto andar bem na pré-temporada da F1 é andar. Em um esporte que prima cada vez mais pela perfeição, ter um carro confiável é fundamental. Até aqui, justamente as duas equipes com carros mais velozes parecem ter sido as que se deram melhor em termos de confiabilidade: além de conseguir bons tempos de voltas, Mercedes e Ferrari não tiveram problemas para aproveitar ao máximo o tempo de pista em Barcelona.
 
A Mercedes é a campeã de quilometragem – foram 558 voltas, equivalente a oito GPs da Espanha. A Ferrari está bem atrás, mas não chegou a fazer feio: 468 giros em quatro dias de atividade.
 
No meio do pelotão, alguns números interessantes. Sauber e Haas conseguiram mais voltas do que a Red Bull – que não apenas sofre com o ritmo como também não parece ter o bólido mais confiável de todos.
A Mercedes foi a equipe que mais andou em Barcelona(Foto: Twitter/Mercedes)
Mais atrás surgem equipes que não conseguiram nem metade do total de voltas dadas pela Mercedes. A Williams, que perdeu praticamente dois dias de treinos por conta de erros de Lance Stroll, só conseguiu 213 giros. A McLaren, que também desperdiçou muito tempo consertando o problemático motor Honda, estacionou em 208.
 
Mas não foi a lanterninha: esta honra coube ao STR12 da Toro Rosso, que deu míseras 183 voltas em quatro dias – aproximadamente três GPs da Espanha. Os italianos tiveram inúmeros problemas com o motor Renault e nem participaram do quarto dia de atividades em Barcelona. A fala de Franz Tost, chefe da escuderia, mostra um misto de sentimentos.
 
“Infelizmente não deu para completar nosso cronograma por causa de problemas de confiabilidade”, disse Tost. “Assim, não temos alguns dados, principalmente sobre os pneus mais macios. Apesar disso, conseguimos um feedback promissor quando o carro esteve na pista. É questão de seguir trabalhando com nossa parceira [Renault] para resolver os problemas”, finalizou.

Confira o total de voltas de cada equipe nos testes da F1
 
Mercedes – 558 voltas
Ferrari – 468 voltas
Sauber – 349 voltas
Haas – 343 voltas
Red Bull – 294 voltas
Renault – 293 voltas
Force India – 278 voltas
Williams – 213 voltas
McLaren – 208 voltas
Toro Rosso – 183 voltas

PADDOCK GP #67 RECEBE OZZ NEGRI E DEBATE TESTES DA F1 EM BARCELONA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube