Alonso afasta declínio, mas aponta provável motivo para deixar F1: calendário

Fernando Alonso afirmou que será o primeiro a admitir, quando o ritmo da pilotagem cair, que chegou a hora de se aposentar. Mas acha que o calendário vai causar afastamento antes

Aos 42 anos de idade, Fernando Alonso terminou a temporada 2023 da Fórmula 1 como uma sensação: dínamo do salto de qualidade da Aston Martin, terminou no quarto lugar do Mundial de Construtores e foi tratado como um dos grandes nomes do campeonato. Mesmo que muito se questione sobre quando o bicampeão vai se aposentar, ele não tem data. Garante, apenas, que saberá o momento e o motivo.

De acordo com Alonso, caso o rendimento caia de maneira brusca, será ele mesmo o primeiro a admitir que não é mais o piloto de antes e deixar a cena. Aponta, porém, que tem muita confiança em si mesmo e, portanto, acha que o motivo para sair da F1 não será o rendimento, mas o calendário do Mundial.

“Disse mesmo antes de 2018 [quando deixou a F1 pela primeira vez] que eu pararia de guiar no dia em que não sentisse mais motivação. Se eu me sentir para baixo, creio que será claro e não vou ficar feliz com meu desempenho. Aí, serei o primeiro a levantar a mão e dizer ‘ok, chegou a hora'”, afirmou.

“Mas não acho que vá chegar um momento em que eu me sinta tão para baixo assim, porque tenho extrema autoconfiança no meu desempenho. Pode ser que, com o calendário extremamente exigente e coisas assim, um dia em sinta que é minha hora”, explicou.

Fernando Alonso foi mais um piloto a falar dos desafios do calendário da F1 (Foto: AFP)

“Há outras coisas na vida. Foi uma temporada muito difícil e ‘só’ com 22 corridas, por conta dos dois cancelamentos. Ano que vem, serão 24 provas. Temos de ver como será. Vi que Las Vegas será parte de uma rodada tripla em 2024, com Catar e Abu Dhabi. Descobri que são as três juntas, e esse é o tipo de coisa que gasta minha bateria. Não é guiar”, continuou.

Além de Alonso, Max Verstappen já chegou a falar que o calendário é o principal motivo pelo qual pensa na possibilidade de deixar a F1 ao fim do contrato, em 2028.

“Sinto a mesma coisa, para ser honesto. Mas também me sentia assim em 2006/2007. Quando assinei com a McLaren, era um acordo de três anos, lembro de pensar naquela época que seria meu último contrato. E aqui estamos”, finalizou.

Além de Alonso e Verstappen, outros pilotos se manifestaram sobre os problemas do calendário no fim do ano: tanto Esteban Ocon quanto George Russell chegaram a apontar o calendário como culpado por terminarem a temporada enfermos.

Mike Krack, chefe da Aston Martin, já falou claramente que deseja renovar o contrato de Alonso para além da temporada 2024.

Com a temporada encerrada, a Fórmula 1 retorna apenas no ano que vem, no dia 2 de março, com a estreia do campeonato no GP do Bahrein.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

FIA abre portas e aprova POSSÍVEL RETORNO de Michael Masi à F1 | GP às 10
🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.