Chefe da Ferrari espera pré-temporada para decidir sobre foco em 2022: “Nossa prioridade”

Mattia Binotto deixou claro que é inaceitável sequer a perspectiva de outra temporada difícil para a Ferrari. Portanto, haverá ainda algum desenvolvimento no carro deste ano, já chamado de SF21, embora as atenções, na sua maior parte, já estejam voltadas para a revolução de 2022

Ainda que a temporada 2021 sequer tenha começado, os olhos da Fórmula 1 já estão voltados para o futuro. Mais precisamente 2022, ano da tão aguardada revolução nos regulamentos técnico e financeiro, com amplas mudanças que têm como maior objetivo mudar a cara da principal categoria do esporte a motor. Com ainda um campeonato pela frente no regulamento atual e as amplas transformações previstas o ano que vem, as equipes vivem um dilema: até que ponto priorizar os trabalhos deste ano ou focar já em 2022. A Ferrari prefere esperar um pouco mais antes de definir quando vai virar a chave.

É que a mais tradicional e longeva equipe do grid tem na retina o ano da sua pior temporada na Fórmula 1 em 40 anos. Somente sexta colocada no Mundial de Construtores e sendo superada por Mercedes, Red Bull, McLaren, Racing Point — hoje Aston Martin — e Renault, antigo nome da Alpine, a escuderia de Maranello fechou 2020 com somente três pódios, sendo dois de Charles Leclerc e um de Sebastian Vettel, que se mudou para a Aston Martin neste novo ano.

Em 2021, a Ferrari tem Carlos Sainz como novidade na sua dupla de pilotos ao mesmo tempo em que trabalha para desenvolver uma nova unidade de potência com a confiança de viver dias melhores. O projeto da nova SF21 está em processo de conclusão. Mas e 2022? Mattia Binotto, em entrevista veiculada pelo site GP Fans, avisou que a mudança para o foco na temporada da revolução não é tão óbvia assim.

MATTIA BINOTTO; FERRARI;
Mattia Binotto está em compasso de espera antes de decidir sobre o foco da Ferrari para 2022 (Foto: Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Acho que, como Ferrari, não podemos aceitar uma temporada parecida com a de 2020. Portanto, precisamos fazer algo melhor”, disse.

Cabe lembrar que a ampla mudança desenvolvida pela Fórmula 1 nesta nova gestão do Liberty Media estava programada para 2021, mas o comando da categoria decidiu adiar a revolução em um ano para conter gastos diante das incertezas provocadas na esteira de um 2020 difícil para a humanidade como um todo.

O chefe da Ferrari lembrou que vai esperar que todos os carros estejam na pista nos testes de pré-temporada, que ainda não têm local e data definidos, antes de definir o cronograma visando 2022. Binotto prefere esperar para ver qual vai ser o desempenho da nova SF21.

“Acho que, se olharmos para a forma como estamos desenvolvendo o carro, tenho alguma esperança de que a temporada seja melhor, mas você nunca vai saber até o ponto em que estiver na pista e se comparar com os outros”, explicou o dirigente ítalo-suíço, que trabalhar para que a Ferrari alcance uma reação imediata neste ano.

“Vai ser importante não ter uma temporada tão difícil também. O mínimo vai ser poder competir por uma [boa] posição”, complementou.

Mas ainda que a Ferrari queira deixar para trás o difícil ano de 2020 com uma performance mais forte nesta nova temporada, Binotto não nega que a grande prioridade é mesmo 2022.

“2022 vai ser mais importante que 2021. Em 2022 estamos abrindo uma nova era técnica, e se você já tiver uma diferença para tirar, vai ser muito mais difícil na temporada seguinte”, comentou.

“Então eu acho que 2022 vai ser a nossa prioridade em 2021, desenvolvendo o carro, mas se nós estamos fazendo algum trabalho no carro de 2021 é simplesmente porque a situação está pior do que o esperado, ou porque algumas atividades são necessárias em 2021 para aprender e tentar fazer melhor para o futuro”, finalizou o engenheiro.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube