Ferrari veta fornecimento de motores e põe em xeque futuro da Red Bull na F1 a partir de 2016, revela revista alemã

A Red Bull está sem motores para 2016. A Ferrari desistiu de qualquer acordo com a rival para o fornecimento das unidades de potência e se mostrou disposta a fechar contrato apenas com a Toro Rosso. A informação é da revista alemã 'Auto Motor und Sport'

A Ferrari deixou a Red Bull em uma posição ainda mais delicada na F1. A esquadra italiana decidiu que não vai mais fornecer motores aos austríacos para a temporada 2016. O time de Maranello está disposto a fechar acordo apenas com a Toro Rosso. A informação foi publicada nesta sexta-feira (9) pela revista alemã 'Auto Motor und Sport'. 
 
A opção ferrarista significa que a esquadra austríaca agora está definitivamente sem uma alternativa com relação às unidades de potência. Os tetracampeões ameaçam deixar a F1 se não encontrarem um acerto competitivo para a próxima temporada. 
Christian Horner confirmou que a equipe está em motores para 2016 (Foto: Getty Images)
Irritada com a insuficiência técnica dos motores da Renault, a Red Bull optou por romper os lanços com a fabricante francesa. Aí foi bater na porta da Mercedes, mas a montadora alemã rejeitou a possibilidade de vínculo com a rival. A Ferrari, então, sobrou como única alternativa, mas os italianos se mostraram relutantes e tinham como ideia fornecer a especificação 2015 aos austríacos. A manobra não deu certo.
 
Ainda nesta semana, o dono da marca das bebidas energéticas revelou que estabeleceu um prazo para a decisão sobre o futuro da equipe na F1. Segundo Dietrich Mateschitz, a decisão será tomada no fim deste mês de outubro.
 
"Nós nos esforçamos para conseguir os motores, mas até agora não temos nada, pelo menos não temos o que queremos", disse Mateschitz à revista 'Speedweek', que pertence à empresa das bebidas energéticas.
 
Questionado sobre um prazo para tomar a decisão final sobre o futuro da marca na F1, o empresário apenas disse: "Será em algum momento no fim de outubro."
 
Já em Sochi, onde o Mundial disputa a 15ª etapa neste fim de semana, Bernie Ecclestone afirmou aos jornalistas que não há muito que possa fazer para evitar a saída dos austríacos. Ou para pressionar a Ferrari a fornecer os motores. 
 
"No momento, parece que ficamos sem motor", confirmou Christian Horner à publicação alemã. O chefe da Red Bull havia revelado nesta semana que a esquadra ainda negocia com a Mercedes.
 
A Honda, em teoria a única fabricante que restou, já confirmou que não tem condições de fornecer unidades de potência para mais de uma equipe por enquanto. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube