FIA descarta chance de 3º carro para etapas finais de 2014 em caso da desistência de Caterham e Marussia, diz revista

Segundo a revista ‘Autosport’, a FIA descartou a possibilidade de pedir aos times de ponta que alinhem um terceiro carro no grid. A medida pode ser tomada se o grid tiver menos de 20 carros. As incertezas sobre a continuidade de Marussia e Caterham no campeonato já provocam a discussão

Mesmo diante de uma crescente dúvida sobre o número de carros no grid para a próxima temporada, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) descartou a possibilidade de pedir às maiores equipes que alinhem um terceiro modelo. A informação é da revista 'Autosport'.

Com a Caterham em meio a uma disputa legal e ainda lutando para tentar levar seus carros para o GP dos EUA, em Austin, na próxima semana, além da Marussia, que também está cercada de incertezas depois de ter decidido correr com apenas um carro na Rússia, há uma chance de o grid ver menos de 20 carros nas três corridas finais.

E se esse o número cair de fato, então, cláusulas nos acordos entre as equipes, a FIA e a FOM, empresa detentora dos direitos comercias da F1, podem significar que algumas equipes sejam convidadas a alinhar um carro extra.

FIA descartou chance de terceiro carro para etapas finais da F1 (Foto: AP)

Entende-se, entretanto, que as escuderias precisaram de 60 dias de prazo para adequar um carro extra e que outras medidas também têm de ser acertadas, como o formato da classificação e a distribuição de pontos. Por isso, no momento, a ação está descartada.

Ainda de acordo com a publicação, para o restante de 2014, a FIA não pretende usar desse artificio para completar o grid, mas a medida por abrir espaço para o próximo ano. Porém, mesmo que em tese a regra possa ser adotada, as grandes equipes ainda não estão convencidas de que é uma proposta realista.

Chefe da Mercedes, Toto Wolff disse recentemente que a medida não tem como acontecer sem um tempo de espera longo. "Isso é um reflexo das regras que se o grid tiver menos de 20 carros, então a FIA e o detentor dos direitos comerciais podem pedir aos times maiores que coloquem na pista um terceiro carro. Mas isso é apenas um aviso."

"Antes de tudo, você precisa ajustar a logística, a infraestrutura e os recursos para ter mais um carro. Portanto, precisamos de regras mais inteligentes em torno dessa medida. Ou seja, temos de saber onde vai andar? Quem vai pilotar? Como será a distribuição de pontos?", questionou o austríaco.

"Há muita coisa que precisa ser esclarecida antes que possamos ver um terceiro carro e não vejo isso acontecendo. Eu torço para que todas as equipes permaneçam na F1. Mas a história mostra que times deixam a categoria e outros entram, então não é nenhum choque no momento", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube