FIA nega postura mais permissiva na Áustria e na Inglaterra: “Filosofia foi adotada no ano inteiro”

Diretor de provas da F1, Michael Masi negou uma postura mais permissiva exclusivamente nas últimas corridas. Segundo ele, categoria implantou filosofia mais liberal nas disputas desde o início da temporada

Os comissários da Fórmula 1 foram alvo de polêmica na temporada por conta de discutíveis punições aplicadas durante as etapas do Canadá e da França. Nas corridas da Áustria e Inglaterra, o cenário foi diferente, com mais ação e disputa entre os pilotos. Porém, a FIA nega uma mudança de postura nas provas mais recentes.
 
Michael Masi, que assumiu o posto de diretor de provas após a morte de Charlie Whiting e foi efetivado no cargo, afirmou que todos os comissários podem abrir investigações, independente de corridas mais ou menos animadas.
 
"Os comissários têm o direito de investigar qualquer coisa. Efetivamente, eu aponto coisas com mais frequência, mas dependendo do quão animada é a corrida e o que está acontecendo, os comissários têm o direito de investigar por sua própria vontade", declarou em entrevista ao site inglês ‘RaceFans.Net’.
Charles Leclerc e Max Verstappen (Foto: AFP)
Masi também revelou que a F1 adotou uma postura mais permissiva, mas não exclusivamente nas últimas duas corridas, e sim durante a temporada inteira. Para ele, a natureza do circuito de Silverstone, conhecido por curvas de raio longo, permitiu mais disputas.
 
"A filosofia do 'deixa eles correrem' foi adotada no ano inteiro, para ser honesto. Eu acho que a natureza do circuito, o jeito que ele é, permitiu mais batalhas roda com roda, mas é a mesma coisa de antes e julgada da mesma maneira. A natureza do circuito dá uma visão maior do 'deixe eles correrem', mas foi adotado deste mesmo jeito no ano inteiro", completou.
 
Paddockast #24
A BATALHA: Indy x MotoGP

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube