Com foco voltado para 2022, Mercedes confirma fim de desenvolvimento do W12

Toto Wolff, chefe da Mercedes, confirmou que a escuderia heptacampeã não vai mais providenciar atualizações aerodinâmicas para o W12. Tudo com foco no regulamento do ano que vem: “Vai valer mais do que apenas um campeonato”

Fernando Alonso acelerou o Renault R.S.18, pintado com as cores da Alpine, no sábado em Le Mans (Vídeo: WEC)

Enquanto Christian Horner, chefe da Red Bull, assegura que o RB16B vai ser desenvolvido até onde for possível ao longo de 2021 para tentar buscar um título que não vem há oito anos, a Mercedes vai na direção contrária. Mesmo envolvida diretamente na luta pela taça dos mundiais de Pilotos e de Construtores, a escuderia heptacampeã do mundo abriu mão do desenvolvimento do W12. Tudo com foco na revolução do regulamento e da nova geração de carros que está por vir a partir de 2022.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Toto Wolff, em entrevista à revista italiana Autosprint, afirmou que a última atualização entregue pela Mercedes foi desenvolvida ainda na primavera, ou seja, antes de junho, e colocada na pista no fim de semana do GP da Inglaterra. A corrida em Silverstone representou um ponto de virada no campeonato com o confronto direto entre Lewis Hamilton e Max Verstappen, o incidente que culminou na batida do holandês na primeira volta da prova e a vitória do heptacampeão do mundo.

Duas semanas depois, em Hungaroring, Hamilton terminou em segundo, enquanto Verstappen, um dos pilotos impactados pela batida causada por Valtteri Bottas na primeira curva do GP da Hungria, foi apenas o nono colocado. Assim, Lewis partiu para as férias de verão como líder do campeonato com 195 pontos, contra 187 de Max. No Mundial de Construtores, a Mercedes também assumiu a ponta e tem 303 pontos, 8 a mais em relação à Red Bull.

ASSISTA
+Fórmula 1 retoma temporada cheia de dúvidas sobre calendário de 2021

LEWIS HAMILTON; MERCEDES; GP DA HUNGRIA; HUNGARORING; F1;
A Mercedes vai seguir com o W12 sem mais atualizações até o fim do ano (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Mesmo diante do esforço da rival para buscar o título, Toto Wolff garantiu que a Mercedes não vai mais trabalhar para melhorar o W12 na sequência do campeonato.

“Não teremos atualizações aerodinâmicas até o fim do ano. Paramos o desenvolvimento do nosso carro atual há meses. A última atualização que finalizamos, na primavera, foi usada no GP da Inglaterra. Essas mudanças funcionaram bem, melhoraram nosso desempenho”, disse.

A melhora na performance do W12 deixa o chefe da Mercedes seguro do que o carro poderá entregar a Hamilton e Valtteri Bottas. “Demos um passo em frente e temos confiança na segunda parte da temporada”.

No entendimento do dirigente austríaco, colocar todos os esforços na luta pelo título em 2021 pode comprometer o andamento do projeto do carro não só do ano que vem, mas de certa forma também para os próximos anos.

“Há uma batalha importante, mas é preciso sempre olhar para o curto e longo prazo e tentar encontrar o meio termo. O regulamento do ano que vem vai ter um impacto muito grande e vai valer muito mais do que apenas um campeonato. Esse é um fator que não deve ser esquecido”, salientou.

“Se você estiver atrás na próxima temporada, então pode levar muito tempo para reduzir a diferença. É por isso que estamos mantendo nossa estratégia de seguir com o desenvolvimento para o ano que vem”, reforçou Toto Wolff, que deixou claro: não se intimida com a ameaça da Red Bull na luta pelo título em 2021. “Jamais mudaremos nossa estratégia por fatores externos ou por outras equipes”, concluiu o chefe da Mercedes.

F1 VOLTA DAS FÉRIAS NA BÉLGICA E CHEFE DA MERCEDES ENTRA NA MIRA DAS AUTORIDADES | Paddock GP #253

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar