Foto: Williams avalia aleta diferente em frente às rodas traseiras nos testes da F1 no Red Bull Ring

A Williams colocou uma aleta um tanto curiosa em frente às rodas traseiras do FW37 nos treinos coletivos desta terça-feira em Spielberg. A pressão aerodinâmica na parte de trás do carro é um dos pontos fracos do time em relação aos rivais

A Williams montou no FW37 uma aleta diferente nesta terça-feira (23), no primeiro de dois dias de treinos coletivos da F1 em Spielberg, na Áustria.

A novidade fica montada no assoalho do carro, em frente às rodas traseiras. Quem está no cockpit é a escocesa Susie Wolff, pilota de testes do time, sendo que Valtteri Bottas assume os trabalhos na quarta-feira.

Williams colocou uma aleta diferente em frente às rodas traseiras (Foto: Twitter/Williams)

A equipe de Grove já havia levado ao Red Bull Ring, para o GP da Áustria do fim de semana, um 'pacotão' de atualizações visando melhorar o rendimento do FW37. A avaliação feita foi positiva. De acordo com Felipe Massa, todas as novas peças foram usadas na oitava etapa do campeonato, o que sem dúvida é um aspecto positivo. O lado ruim é que a Ferrari ainda teve um carro melhor, apesar do terceiro lugar do brasileiro na corrida.

No entanto, de acordo com a revista alemã 'Auto Motor und Sport', a FIA e outras equipes foram consultadas e indicaram que o artifício é ilegal.

O próximo GP é o da Inglaterra, marcado para o dia 5 de julho. É mais uma pista em que a Williams espera se apresentar bem, por se tratar de um traçado de alta velocidade. O time vem de dois pódios consecutivos.

Nesta terça, a programação dos testes foi bastante prejudicada pela chuva forte que caiu durante a manhã. Por causa disso, os times decidiram atrasar em duas horas o encerramento dos treinos, para as 15h (de Brasília).

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube