Gasly revela fortes dores nas costas durante GP da Malásia por problema no assento: “Não me senti confortável”

Pierre Gasly fez seu debute na F1 no GP da Malásia deste domingo. O francês terminou a prova na 14ª colocação e após a disputa em Sepang, fez uma revelação: sentiu fortes dores nas costas. O piloto contou que seu banco estava com problemas, e ele não se sentiu confortável ao longo das 56 voltas malaias

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }


google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A corrida de debute de Pierre Gasly na F1 foi mais dolorosa do que o esperado. Neste domingo (1), após o GP da Malásia, o piloto de 21 anos revelou que, durante as 56 voltas, sentiu um incômodo nas costas por causa do banco. A corrida em Sepang, que deixa o calendário da F1 a partir da próxima temporada, é uma das mais desgastantes da temporada em razão do forte calor e da alta umidade relativa do ar, tornando-se um desafio físico aos competidores.
 

O francês assumiu a vaga de Daniil Kvyat ao menos até o GP do Japão, no próximo fim de semana. Em Sepang, Pierre cruzou a linha de chegada em 14º. Para a próxima disputa, em Suzuka, o jovem francês revelou que terá um novo assento para seu carro.
 
“Não tenho muito apoio com o banco. Não foi o ideal, a questão é que eu não me senti completamente confortável. Ele se mexia dentro do carro desde a primeira volta, especialmente quando eu acelerava demais”, contou.
Pierre Gasly (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Não estou encaixado no banco, me mexo muito, e isso não é o ideal para a minha coluna. Foi bastante doloroso, então já planejamos fazer um novo assento para o próximo fim de semana em Suzuka”, continuou.
 

Mas apesar das dores sentidas durante a prova, Gasly admitiu que sua corrida foi melhor do que o esperado, embora seja ainda o primeiro de muitos passos. “Foi uma corrida positiva, importante para conseguir experiência e conseguir terminar”.
 
“Olhando para trás, existem algumas coisas que eu faria diferente. Algumas situações com bandeira azul e com os pneus. Acredito que parei um pouco cedo demais. É claro que, como piloto, você quer acelerar. Então, quando saí dos boxes, tentei ultrapassar os outros, mas paguei caro no final”, disse.
 
“Algumas coisas virão com a experiência, mas eu tentei ir ao máximo no meu limite sem cometer erros, mas acredito que foi um final de semana positivo no geral”, seguiu.
 
Por fim, Pierre comentou sobre a reação de Helmut Marko, consultor da Red Bull após a prova em Sepang. “Eu o vi no paddock e ele estava sorrindo, então acredito que esse seja um feedback positivo”, encerrou.
TORO ROSSO DEMOROU DEMAIS

REBAIXAMENTO SEGUIDO DE AFASTAMENTO DE KVYAT É TUDO, MENOS INJUSTO  

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube