Globo dispensa Luciano Burti após abrir mão dos direitos de transmissão da F1 no Brasil

O piloto Luciano Burti trabalhava no Grupo Globo desde 2004 e era uma das vozes mais presentes como comentarista nas transmissões da Fórmula 1. Sem ter mais os direitos televisivos da categoria, a emissora carioca optou por dispensar o profissional

Como foi o terceiro e último de pré-temporada da F1 em Sakhir (Vídeo: GRANDE PRÊMIO)

O término do contrato entre Grupo Globo e o Liberty Media para a transmissão do Mundial de Fórmula 1 também representou a saída do comentarista e piloto Luciano Burti da emissora carioca. O profissional, que atuava nas transmissões da F1 desde 2004, teve sua dispensa confirmada pela assessoria de imprensa e comunicação da empresa ao GRANDE PRÊMIO.

Burti foi uma das vozes mais conhecidas das transmissões dos canais Globo, seja na TV aberta ou no SporTV, canal por assinatura, onde, além de trazer um pouco da visão do piloto nos seus comentários, se notabilizou por traduzir as falas dos pilotos nas comunicações via rádio.

Na Fórmula 1, Burti foi piloto da Jaguar e estreou na temporada 2000. No ano seguinte, se transferiu para a Prost. Foi em 2001 que o paulista, hoje com 46 anos, sofreu o mais grave acidente da carreira durante o GP da Bélgica.

Luciano Burti seguiu o caminho de Felipe Giaffone e também deixou o Grupo Globo (Foto: Globo/Fábio Rocha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

WEB STORIES: Tudo sobre o terceiro dia de pré-temporada da F1

Em 2002, Burti deixou o grid como piloto titular, mas continuou no meio do esporte como piloto de testes da Ferrari, função que exerceu até 2004, mesmo ano em que se uniu ao Grupo Globo como comentarista da Fórmula 1.

Burti competiu na Stock Car entre 2005 e 2018 e conquistou duas vitórias: Tarumã, em 2009, e Campo Grande, em 2011.

Mesmo fora do Grupo Globo, Luciano ainda poderá ser visto nas próximas semanas em um dos programas do canal, o ‘Auto Esporte’, especializado em cultura automotiva, mas que é feito por uma produtora independente.

A saída de Burti acontece na esteira da dispensa do Gerente de Esportes a Motor e Lutas, Alfredo Bokel. Desta forma, a emissora completa o desmonte da sua equipe de automobilismo com a saída da maior parte dos seus profissionais do meio.

Reginaldo Leme deixou o Grupo Globo ao fim de 2019, enquanto o produtor Jayme Brito, a jornalista Mariana Becker, o narrador Sergio Maurício e os comentaristas e pilotos Felipe Giaffone e Max Wilson saíram da emissora entre o fim do ano passado e os primeiros meses de 2020. Todos agora fazem parte da equipe de esporte a motor da Band, nova detentora dos direitos de transmissão da Fórmula 1 e também responsável por exibir as corridas da Stock Car em TV aberta.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube