GP às 10: Honda fora da Fórmula 1 é compreensível ao olhar futuro do esporte

Flavio Gomes comenta sobre como a saída da Honda é completamente compreensível por conta dos altos custos e do futuro moldado para os carros elétricos

No GP às 10 desta terça-feira (6), Flavio Gomes aborda o anúncio da Honda, que vai deixar a Fórmula 1 ao término da temporada 2021.

O comunicado da montadora japonesa, que hoje trabalha com Red Bull e Alpha Tauri, veio de surpresa na semana passada, alegando “voltar as atenções a tecnologias mais sustentáveis e amistosas ao meio-ambiente na indústria automotiva.”

Flavio cita que a saída da Honda da F1 é compreensível no mundo atual, que visa o fim da venda de carros à combustão, com foco apenas no elétrico, e em um universo onde os automóveis não são mais o centro das atenções.

A passagem mais recente da montadora pelo Mundial começou em 2015, fornecendo motores para a McLaren, mas a primeira vitória aconteceu apenas em 2019, muitos milhões gastos depois, no vínculo com a Red Bull.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube