F1

GP às 10: No auge da carreira, Hamilton tem em 2019 ano decisivo para quebrar recordes de Schumacher

Lewis Hamilton completa 34 anos nesta segunda-feira. No auge da carreira e da vida, o britânico já traçou a meta de ser o maior de todos os tempos. Para isso, há dois anos pela frente, mas 2019 surge como crucial para cumprir com seu objetivo, analisa Fernando Silva no GP às 10
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Mesmo sem atividades de pista, os primeiros dias de janeiro são especiais para a F1 e seus fãs. No dia 3, Michael Schumacher, o maior campeão da história, completou 50 anos de idade. E, nesta segunda-feira (7), é a vez de Lewis Hamilton fazer aniversário, chegando aos 34 anos. Em comum, os dois têm marcas grandiosas que os colocam na lista dos grandes nomes do esporte. Hamilton afirmou, no fim do ano passado, que tem como meta final da carreira se tornar o maior de todos os tempos, superando inclusive os números de Schumacher.
 
Mas, para chegar lá, Lewis tem pela frente uma temporada 2019 que se mostra crucial. É o que diz Fernando Silva no GP às 10 desta noite de segunda-feira. A lógica diz que, em um ano sem grandes alterações no regulamento técnico e no desenho dos carros, o britânico consiga manter a dinastia da Mercedes e buscar o hexacampeonato. E aí, com o domínio ampliado por mais um campeonato, a tendência é de chegar ao hepta em 2020, ano que vai marcar o desfecho do seu atual contrato com a equipe prateada.
 
Contudo, caso a Ferrari — equipe de maior orçamento da F1 — consiga alcançar a duríssima missão de reverter o quadro e voltar ao topo do Mundial neste ano, então Hamilton teria bastante dificultado seu objetivo de se tornar o maior de todos os tempos no esporte.


O GP às 10 é a série que traz um comentário em vídeo dos jornalistas do GRANDE PRÊMIO, sempre às 10h (de Brasília), do dia e da noite. Veja aqui todas as edições do GP às 10.