Grosjean vê batida em Baku como ponto “mais frustrante” de 2018: “Foi um momento bem duro”

Romain Grosjean relembrou para o GRANDE PRÊMIO o momento mais decepcionante de seu 2018: a batida no GP do Azerbaijão durante um safety-car. E comentou sobre as dores que sente no esporte

O ano de Romain Grosjean foi como uma montanha-russa, já diria o clichê: entre pontos muito baixo e outros altos, emoção não faltou para o francês.

Mas o piloto da Haas sabe bem qual foi seu momento mais complicado na temporada 2018: o GP do Azerbaijão. Em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO em Interlagos, ele lembrou pelo que passou na corrida de rua em Baku, quando questionado se a corrida na Austrália, na qual sua equipe errou no pit-stop dos dois pilotos (incluindo Kevin Magnussen), havia sido a passagem mais dolorosa.

"Não, Austrália não foi a maior frustração do ano. Acho que foi em Baku, bater durante o safety-car. Foi o mais doloroso momento do ano."

Naquela corrida, durante a passagem do carro de segurança, o francês errou freada enquanto tentatava ganhar temperatura nos pneus e acabou batendo no muro.

Romain Grosjean (Foto: Haas)

Ele também analisou a parte sentimental dessa questão, comentando os fatores pelos quais um piloto passa em situações como essa.

"Na F1, e em qualquer esporte, você vai de herói para um nada em alguns segundos. Você passa por momentos de ápice, sentimentos muito bons, e por momentos muito difíceis. Acho que Baku foi um bem duro e a maior frustração do ano", completou.

Grosjean, em Baku, passou pelo segundo de seus cinco abandonos no ano – e só pontuaria cinco corridas depois, com o 4° lugar na Áustria. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube