F1

Hamilton crê que regulamento de 2021 “está longe de onde deveria estar”

Lewis Hamilton foi um dos pilotos que participou da reunião da FIA que definiu o adiamento da assinatura do regulamento da Fórmula 1 para 2021, e destacou que as mudanças já definidas precisam ser revistas, e pediu participação de outros pilotos em encontros futuros antes da finalização da maior mudança já vista na categoria

Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
Pentacampeão mundial de Fórmula 1 e caminhando para o sexto título, Lewis Hamilton foi um dos pilotos que participou da reunião da FIA em Paris, que definiu o adiamento da assinatura do regulamento para a temporada 2021. O inglês concorda com a decisão, e acredita que muita coisa precisa ser resolvida.
 
Em entrevista à revista inglesa ‘Autosport’, Hamilton ressaltou a importância da participação dele e de Nico Hülkenberg, da Renault, na reunião. Junto de Alexander Wurz, aposentado da F1 e hoje chefe da GPDA, eles foram os únicos pilotos presentes em Paris.
 
"Foi encorajador que nos permitiram estar lá. Eles foram muito, muito acolhedores, o que foi ótimo. Eu espero que eles continuem a nos ter lá, dois pilotos de cada vez. Eles estenderam o prazo para fazer as regras. Acho necessário, porque estão longe de onde precisa estar, na minha opinião", comentou.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
Além de um regulamento muito ‘verde’, já citado por outros participantes da reunião, Hamilton também apontou que mudanças já definidas para 2021 precisam ser revistas pelos mandatários. Para ele, tudo precisa ser analisado minuciosamente antes da definição.
 
"Eles precisam mudar muitas coisas que nas decisões que já tomaram para 2021. Por muitos anos, nunca quiseram nós naquela sala, o que acredito que nunca aconteceu. Eles são engenheiros e caras que tomam as decisões, e nós somos apenas pilotos, mas sabemos como é o carro, temos críticas positivas e negativas que podem ajudar na decisão. Você não pode tomar uma decisão sem rever os fatos e o efeito que terá. Então, tentamos ser um tipo de guia e parte de um leme”, declarou.
 
O inglês também alertou para a aproximação da Fórmula 1 com seus fãs. Na Inglaterra, as transmissões estão com queda de audiência em comparação ao ano passado, e o pentacampeão acredita que a categoria pode engajar mais os seus admiradores.
 
"Ainda precisa ser a F1, o pináculo do esporte, com os caras mais rápidos do mundo. Espero que façamos parte de uma mudança muito boa. O formato do fim de semana pode mudar para os fãs, junto do engajamento para aproximá-los. Tudo isso pode ser melhor", completou.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.