F1

Hamilton diz que precisou correr com “espírito do Lauda” em Mônaco para vencer “corrida mais difícil”

Lewis Hamilton teve dois inimigos no GP de Mônaco: o alto desgaste de pneus e a ameaça constante de Max Verstappen. Para superar os dois, a receita foi tentar ser tão aguerrido quanto Niki Lauda, homenageado por Lewis

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Berlim

Lewis Hamilton teve neste domingo (26) um GP de Mônaco adverso, mas que terminou com final feliz. O britânico, com pneus gastos, passou a maior parte do tempo segurando Max Verstappen, que apostou tudo em uma tentativa de ultrapassagem na penúltima volta. Mesmo assim, Hamilton foi ao alto do pódio, fazendo valer o “espírito de Niki Lauda”.
 
“Essa foi definitivamente minha corrida mais difícil”, disse Hamilton. “Eu realmente precisei lutar com o espírito do Niki [Lauda]. Eu sei que ele está de olho em nós e só queria deixa-lo orgulhoso. Nós sentimos falta dele, de verdade”, seguiu, recordando o tricampeão morto na última segunda-feira.
Lewis Hamilton venceu em Mônaco pela terceira vez (Foto: AFP)
“Eu não pilotava sem pneus desde 2007, quando a McLaren me deixou na pista em Xangai por um tempão”, recordou Hamilton, citando a infame corrida em que atolou na caixa de brita da entrada dos boxes. “Temos um grande público aqui, espero que não tenha sido chato. Foi intenso porque eu nunca ia entrar [para os boxes]. Entendi do jeito duro que não ia parar, independente de bater ou terminar. No fim das contas, estávamos os pneus errados. Mesmo assim, a equipe fez um trabalho incrível e estou muito orgulhoso de fazer parte disso”, destacou.
 
O susto de Hamilton com Verstappen foi na chicane do porto de Mônaco. O holandês, apesar de carregar punição de 5s por infração nos boxes, tentou pegar o britânico desprevenido para assumir a liderança.
 
“Foi um pouco apertado. Ele [Verstappen] mergulhou meio tarde e por sorte o vi no último instante. Mesmo assim, a asa dele estava na altura dos meus pneus traseiros, então ele não ia conseguir passar. Foi um toque de leve e depois continuamos”, encerrou.
 
Hamilton, assim, começa a abrir vantagem considerável no Mundial de Pilotos. A vitória, aliada ao terceiro lugar de Valtteri Bottas, deixa Lewis com 20 pontos de vantagem.